quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

I have no resolutions

.


Esta música fez parte do meu ritual de passagem de ano durante a última meia-década. É que as passagens de ano sempre foram para mim um evento agridoce, em que a nostalgia imposta pelas badaladas diminui a passagem do tempo, obrigando-me à nostalgia e à confrontação com o bom e o mau do passado.

Por isso visto das minhas melhores roupas e brindo a algo que não sei proferir, de preferência com alguns dos meus amigos mais próximos. E bebo um gole por cada amizade feita. Bebo um gole por cada amizade perdida. Bebo um gole por cada momento intenso e bebo um gole por cada momento banal que por alguma razão é importante.

Não me lembro da última passagem de ano em que tenha estado sóbrio, portanto.

Feliz 2010 a todos os que estiverem a ler isto e também aos que não lerem. À excepção do camionista que me cegou com os máximos há 2 dias atrás, esse gajo não perdoo.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Googlices (nº18)

.
"és mesmo parvo" - Quem diz é quem é!

"blogs da foda" - Não é bem, mas obrigado pelo elogio. Acho.

"i can´t believe me antiga" - A nova é melhor, talvez?

"quero ser um robô" - Foda-se, também eu! Mas só se lançar raios laser dos olhos.

"tamos todos fodidos" - Sábias palavras.

"penis grande" - Vieste ao sítio certo (mentira).

"estupidez vacina" - Se existisse uma vacina para a estupidez, não chegava para todos.

"www.dianachaves.pt com as mamas e o pipi á mosta" - Sinto um esgotamento nervoso a aproximar-se...

"mulheres não sabem fazer" - Sabem sabem. Sabem fazer tudo. Sabem tambem é enganar-te bem para que penses que elas não o sabem fazer. Mas sabem.

"mais vale estar só" - Sim, às vezes mais vale.

"sonhei que eu era um monstro" - É fodido, eu sei.

Mas eu agora vivo na Inglaterra ou quê?

.
Hoje apanhei não uma, não duas, mas três valentes molhas. Daquelas de ficar com a roupa empapada.

Que se foda a chuva.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Pensamentos Divergentes (nº126)

.
Deu um trago do seu gin
...(cat-a)tónico.

As suas palavras tocaram-se
mas apenas no início

O desejo escorregou-lhes dos lábios
fugiu pelos seus corpos abaixo
e acendeu o negrume da primeira alma
(a escondida)

Agora são só ossos amarelados
esquecidos numa gruta perdida
aguardando o fim do mundo.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Nothing you can sing that can't be sung

.


P.S. - Arrepiei-me com a voz da gaja da Noruega. Fosse isto há uns anos atrás, já estava apaixonado a ver de preços de viagens de avião.

Pensamentos Divergentes (nº125)

.
Fazem pouco de mim, as núvens.

Contenho a dor em mim, espero que as palavras vertam. Mas apenas o céu verte, desfaz-se em lágrimas.

A chuva deixa-me os pés molhados e o coração seco.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº298)

.
Hoje, por piada, decidi fazer eggnog. Sempre ouvi falar dessa bebida nos filmes natalícios americanos e hoje decidi pegar numa receita e fazer.

Descobri que gosto bué e que aquela merda tem um efeito mais alcoólico do que aparenta na receita.

Isto é relevante porque o último post, contando com as 6 correcções que lhe fiz, demorou 7 minutos a escrever. E este para lá caminha.

Sou capaz de não estar com a melhor das capacidades de concentração.


P.S. - Sabiam que o corrector do Blogger reconhece "bué" mas não reconhece "epifania"?

Acho que me tornei numa pessoa solitária

.
Não é propriamente uma súbita epifania do momento. É algo de que já me tinha apercebido.
E não é que eu não goste de estar com pessoas, muito pelo contrário. Das coisas que me dão mais prazer é conversar com os outros.

A cena é que de há uns 2 ou 3 anos para cá deixei de receber as centenas de sms's e mails típicos de Natal e de passagem de ano. E tenho cá para mim que isto é capaz de dizer algo sobre a minha pessoa.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Finalmente, foda-se! O outro fartou-se de levar com balázios e este nem um chumbinho de pressão-de-ar!

.
"Uma mulher conseguiu ontem saltar as barreiras de segurança colocadas na Basílica de São Pedro antes da Missa do Galo, tendo derrubado o Papa Bento XVI, que não ficou ferido no incidente."

In Público



Para mim, a única coisa que ficou mal feita foi a gaja não ter tido pontaria suficiente para o deixar com pelo menos uma nódoa negra.

O artigo refere ainda que se presume que a mulher tem problemas mentais. Eu presumo é que ela era a única dali que não tinha.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Foda-se! (nº27)

.


A existência deste anúncio tirou-me a vontade de viver neste mundo.

Foda-se, eu sei que o sexo vende, mas que raios diz da nossa sociedade quando enfiamos temas sexuais em seja o que for, mandando qualquer tipo de contexto ou sentido pela sanita abaixo?

Além do mais, eu tenho uma mente muito básica. Estão-me a tentar dar vontade de comer a porra da salada ou de comer a modelo? É que digo-vos, aqui deste lado parece-me mais uma publicidade para eu ir comer a modelo porque a salada mal aparece no vídeo, para além de estar num plano secundário. E isto confunde-me o cérebro, percebem? Isto não se faz. NUNCA.

Estão a contribuir para que a mentalidade do povo se torne cada vez mais fraca, elementar e imbecil.
Vão mas'é levar no cu.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal

.

If God came down on Christmas Day, I know exactly what he'd say

.


Esta é a melhor mensagem de Natal que sei transmitir.

AAAAAAAAH!

.
Isto soa estúpido, mas sonhei que toda a gente sabia que eu era o autor deste blog.

Foi um bruto pesadelo.

This empty place inside of me is filling up

.


Ao contrário do que possa parecer, para mim o Natal ainda tem alguma magia. Embora seja pouca e pareça ser cada vez menor à medida que os anos passam.

É a prova que ainda consigo manter algo de criança dentro de mim. Que consigo manter uma réstia de um sentimento que vai sendo assassinado com o passar do tempo.

E pensar nisso faz-me sentir bem.

Oração natalícia

.
Este mundo é feio, o mundo é feio, o mundo é feio.

Repitam a oração comigo
para que neguemos prontamente a verdade irrefutável que decorámos no nosso mais interior.
Finjamos por uma noite que tudo está bem,
esqueçamos o dia-a-dia inegável.

Feliz Natal
mendigos e vagabundos, que a nossa sorte não seja a mesma.

Feliz Natal
mulheres e crianças violadas, que a vossa terrível realidade não nos passe pela cabeça

Feliz Natal
loucos e vozes jamais ouvidas, que o vosso mal não nos contagie.

Feliz Natal
miseráveis e doentes, que a comparação entre as nossas sinas para sempre nos alivie.

Feliz Natal
prostitutas e drogados, que a vossa visão nos seja sempre odiosa.

Feliz Natal
moribundos e oprimidos, que se escondam da nossa vista nesta noite gloriosa.

E Feliz Natal a todos nós,
que um dia abraçaremos a escuridão.
Seremos finalmente todos um,
no éter, na massa e na oculta palpitação.

Jesus nasceu.

Feliz Natal.

Notificação provavelmente inútil

.
É só para avisar que eu e a minha namorada encontrámos uma carteira no chão, perto da Rua do Teatro em Évora.

Não contém identificação nem dinheiro, mas se a carteira tiver algum valor emocional poderá ir buscá-la ao posto da PSP.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº297)

.
Tenho um espelho bastante grande na casa-de-banho, na parede do lado direito da sanita.

Infelizmente, isto significa que por vezes, quando urino, vislumbro de relance o meu pénis.

E sabem, dito assim não parece assim tão mau, mas o problema é que é de uma perspectiva à qual eu não estou habituado. Anos e anos a olhar para baixo dessensibilizaram-me para o horror desfigurado que é o membro genital masculino. O pêlo púbico também ajuda, tapando uma percentagem considerável do cenário.

E eu evito ao máximo olhar sequer para a parede em que se encontra espelho, mas de vez em quando esqueço-me ou viro a cabeça por algum motivo e a visão que me recebe aguarda uma panóplia de terrores inesperados em cada assustador detalhe físico dos meus genitais.

É possível que passe a mijar sentado.

Mãe, quando crescer quero ser polícia

.


É este tipo de coisas que me fazem apreciar estar vivo.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Desabafo sobre o casamento homossexual

.
Durante a minha vida tenho sofrido de um grande problema.
Fui criado ateu.

Isto é, cresci numa casa ausente de doutrina ou crença religiosa. Os meus pais não me criaram com o propósito de ser ateu, simplesmente deixaram tudo seguir o seu curso. E, afinal de contas, o estado natural de uma pessoa é a ausência de uma crença num deus específico ("deus" sem "d" capital é de propósito) pois essa crença tem de ser ensinada.
Seguir o curso parece resultar, no máximo, em agnosticismo. Vou ignorar a minha fase niilista e a minha fase solipsista por razões mais ou menos óbvias.

Seja como for, isto é um problema não porque hei-de arder no inferno para todo o sempre ou porque não pude usufruir da alegria de assistir a missas fascinantes.
O meu problema é que, na melhor das hipóteses, só me ensinaram no que não acreditar.

É claro que me incutiram valores, mas simultâneamente aprendi que não existe uma única verdade, o mundo é feito de tons de cinzento. E por isso nunca devo ter a arrogância de julgar ter uma certeza absoluta. Isto significa também que as minhas "crenças" e valores vão mudando ao longo do tempo e que grande parte dessa mudança é da minha responsabilidade. Portanto, ao contrário de uma percentagem considerável de crentes, as opiniões que tenho agora não são as que sempre tive, e foram trabalhadas por mim pois ninguém me deu uma lista no que devo acreditar sem contestar. Por outro lado, as mudanças que ocorrem são também do contacto com as outras pessoas, com outros pontos de vista que me são apresentados.

E toda esta introdução (sim, leram bem, introdução) porquê? Porque tenho uma crescente dificuldade em mudar de opinião sobre o casamento homossexual por muito que pessoas inteligentes e cultas debatam um ponto de vista contrário ao meu.

Em primeiro lugar, a verdade é que não dou muita importância a este assunto. Pelo simples facto que não dou importância ao casamento, homo ou heterossexual. Não creio que deva ser uma prioridade na vida de seja quem for e parece que a nossa sociedade está de acordo tendo em conta o decréscimo no número de casamentos e o aumento de divórcios. Pode ser que o casamento como o vemos agora seja como o panda - um animal em vias de extinção que se recusa a perpetuar neste mundo.
Em segundo lugar, presumindo que poderia até achar alguma piada a isto do casamento, continuaria a não perceber os argumentos contra o casamento homossexual. E aqui posso ser eu que estou a ser burro.

Um dos argumentos mais ouvidos é que "O casamento sempre foi entre um homem e uma mulher, sempre foi assim e sempre o será. Faz parte da definição de casamento".
Bem, de facto parece ser verdade, se excluirmos comunidades polígamas. E é este o meu principal problema com este argumento. É que para além do requisito de ambos os sexos estarem presentes, as outras características do casamento não são exactamente idênticas em todas as culturas, existem variações. Mais importante do que isso, na nossa cultura o casamento sofreu mudanças com o tempo, algumas delas ligadas ao facto de as mulheres adquirirem mais direitos e do nosso paradigma cultural sair gradualmente de uma centralização na figura masculina.
Pergunto-me se, quando se começou a falar de poder ser permitido o divórcio nos casamentos católicos em Portugal, os portugueses da altura também afirmaram indignamente que "O casamento entre duas pessoas é até ao fim da vida, sempre foi assim e sempre será".

Outro argumento é "Se for permitido a dois homens ou a duas mulheres casarem então não tarda as pessoas podem casar com animais". A verdade é que esta reivindicação do casamento homossexual é uma questão de igualdade de direitos entre os membros da raça humana. Os animais não são seres humanos.
E em última análise, o que é que tem se um doente mental quiser casar com um animal? Não estou a dizer que defenda o conceito, mas como é que isso afectaria negativamente a vida das outras pessoas?

Outra semelhante é "Não tarda podem-se casar 2 homens e 3 mulheres, ou 4 mulheres e 5 homens e outras misturadas". Tenho duas respostas para isso: 1 - Se demoramos tanto tempo a debater e a aprovar o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo, demoraríamos pelo menos igual tempo a debater e a possivelmente aprovar o casamento polígamo em Portugal, e estou a falar de centenas de anos. O mesmo aplica-se em duplicado para o ponto anterior sobre o casamento com animais; 2 - E, exactamente, qual era o mal?

O argumento que mesmo assim aparenta ter uma base mais sólida é a questão da adopção. "Primeiro casam-se, depois podem começar a adoptar crianças pequenas!". Muito bem, parece-me um seguimento lógico, afinal de contas é outro dos direitos que a comunidade gay tem lutado por adquirir. O problema que as pessoas têm com isto é o acharem que uma criança criada num lar com dois pais ou duas mães irá tornar-se altamente perturbada. E, de facto, há teorias psicológicas largamente aceites que estipulam teoricamente que uma criança nessas condições poderá sofrer de alguns problemas psicológicos mais tarde na sua vida. No entanto, não existem estudos científicos que comprovem esta ligação.
Mas imaginemos, hipoteticamente, que é verdade que uma criança nessas condições tem maior probabilidade de ter certos tipos de problemas psicológicos. Essa criança ficaria melhor num orfanato até aos 18 anos sem qualquer pai ou mãe ou um cuidador carinhoso estável ao longo do tempo? O amor paternal dos homossexuais é assim tão mais perigoso, potente e nefasto do que a ausência de amor? Além do mais, não é qualquer casal heterossexual que consegue adoptar uma criança, a maioria dos casos são submetidos a longo e elevado escrutínio e se as pessoas não forem consideradas física ou mentalmente aptas para cuidar de uma criança, são recusados como pais adoptivos. Existe alguma razão para pensar que casais homossexuais não seriam submetidos a igual escrutínio?
A propósito, se se trata apenas da questão de uma criança ter de ser criada por um "pai" e por uma "mãe", deveríamos também retirar custódia a mães e pais biológicos solteiros, divorciados ou viúvos? Devem essas crianças ser postas para adopção?

Nós, seres humanos, temos a irritante mania de integrar dicotomias, o que é altamente ilógico. A verdade é que desafiamos o racional a cada dia que passa. Por isso é que passamos a vida a querer ver grandes mudanças à nossa volta e ao mesmo tempo temos um imenso medo da mudança.

Posso estar errado, mas parece-me que uma pequena razão desta revolta contra o casamento homossexual é um profundo medo da mudança. E, principalmente, do que essa mudança pode significar para a forma como as pessoas se vêem a si próprias e à sociedade.
A maior parte desta revolta é, no entanto, o medo da homossexualidade em si. As pessoas sentem como uma ameaça a si próprias a existência de pessoas neste mundo a cometerem os actos profanos e nojentos da homossexualidade. Mas enquanto os homossexuais forem cidadãos de segunda, enquanto mantiverem esse comportamento escondido, o desconforto não é tão grande. O problema aqui é que, se os paneleiros e as fufas do mundo decidem ter a ousadia de se comportarem como pessoas normais na rua e se o seu afecto for socialmente aceite, a porra do Apocalipse chega de uma vez e em breve vamos ver bebés de 5 meses já homossexuais, com metralhadoras nas ruas, a fornicarem com cães vadios e a espalharem doenças venéreas através do ar.

Enfim, basicamente... deixem lá os homossexuais casarem-se. Afinal de contas eles também têm o direito a serem infelizes.

Comigo também é isto que acontece


domingo, 20 de dezembro de 2009

I cherish with fondness the day (before) I met you

.
Acho que esta música tem tudo a ver com o último post. Para além de andar viciado nela.

Lista da Década


Apercebi-me que estamos a chegar ao fim de uma década. E que esta foi provavelmente a década mais importante na minha vida.
Decidi fazer uma lista das coisas mais relevantes que me aconteceram desde o ano 2000. Não é propriamente um desafio, mas gostava que mais gente tentasse fazer o mesmo. Era capaz de ser giro.

  1. Tive o meu primeiro beijo
  2. A minha primeira namorada também
  3. Apaixonei-me
  4. Perdi a virgindade
  5. Descobri que gosto de álcool
  6. Descobri o sexo oral
  7. Comecei a fumar
  8. Experimentei drogas
  9. Abusei um pouco de drogas e álcool e depois deixei-me disso
  10. Apaixonei-me
  11. Levei enormes tampas
  12. Tive os primeiros verdadeiros desgostos amorosos também
  13. Reatei laços com uma das minhas irmãs
  14. Tive dois sobrinhos da minha outra irmã
  15. Morreram os meus dois avós
  16. Descobri que era um pouco diferente dos outros
  17. Descobri muito mais tarde que não era assim tão mau ser um pouco diferente
  18. Desenhei a minha primeira banda-desenhada
  19. Aprendi a gostar um pouco de mim
  20. Descobri que o tipo de música que eu gosto é considerado alternativo/indie e isso é extremamente fixe
  21. Fiz amigos para o resto da minha vida
  22. Perdi muitos outros amigos
  23. Recuperei amigos perdidos
  24. Apaixonei-me
  25. Fui ao meu primeiro festival de música
  26. Abri o meu coração pela 1ª vez
  27. Deixei de escrever
  28. Aprendi a tocar guitarra
  29. Voltei a escrever
  30. Aprendi a gostar um pouco de mim, outra vez. Aprendi também que não seria a última vez que o teria de fazer
  31. Fui estudar para Lisboa
  32. Apaixonei-me
  33. Larguei o curso em que tinha entrado
  34. Tive um vislumbre do que é viver sozinho
  35. Entrei num curso mais à minha medida
  36. Apaixonei-me
  37. Deixei de fumar
  38. Descobri o que é a verdadeira ansiedade
  39. Voltei a fumar
  40. Trabalhei mais do que imaginava ser possível
  41. Diverti-me mais do que imaginava ser possível
  42. Descobri que adoro comida de vários cantos do mundo
  43. Deixei que outras pessoas me tocassem na vida
  44. Toquei na vida de algumas outras pessoas
  45. Descobri que gosto de cozinhar e de preparar bebidas
  46. Fiz furos nas orelhas
  47. Tentei mostrar mais de mim aos outros
  48. Fiz um esforço por não criar conflitos desnecessários com os outros
  49. Perdi e ganhei imenso peso
  50. Cheguei relativamente são ao final de mais uma década

Os dias andam-me a passar muito rápido

.
Quero escrever mas não escrevo. Quero compor mas não componho. Quero desenhar mas não desenho.
O idiota disto é que entretanto ando a aproveitar a vida real, com outras pessoas. E ainda assim parece que me faz falta o meu massacre solitário.

Isto só pode ser vício por um tipo de masturbação qualquer.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Parabéns ao R

.
Que ele faz anos hoje.

Podia ser uma desculpa para irmos finalmente a um bar de strip, mas andamos lisos.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Gostava de não ter nada que fazer da vida. Assim tinha tempo para fazer coisas giras como esta:

.

Mais compras de Natal hoje

.

Estou feito em cocó e a minha conta já viu melhores dias.

Now I'm 23

.


Trabalhei o dia todo e no final do dia ainda me aventurei a ir para Lisboa fazer compras de Natal.

Escusado será dizer que já ando um bocado farto desta merda. Depois admiro-me de o espírito natalício só me dar lá para Maio quando me apanho a cantarolar músicas de Natal.

Até lá, esta é a minha música de Natal.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pensamentos Divergentes (nº124)

Excerto de um poema meu que encontrei, escrito há uma porradona de anos.

O meu coração sabe
que só a mente é que ama
E que transmite esse odor
para o peito, na cama
onde não consigo dormir
sentindo-te em todo o meu interior e redor
E tão distante
atravessando-me

Nós os dois somos oblíquos


Escrevia terrivelmente mal e pelos vistos escrevia muito sobre o amor. Tenho vergonha de tanta coisa para aqui...

Se eu atar balões de hélio ao coração

.
pode ser que deixe de pesar tanto.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Call me Rhymenocerous

.
Porque ando muito horny.


And if you roll like me, you don't get laid.

Odeio telemóveis

.
Os gajos da TMN não param de me chatear com mensagens e telefonemas, foda-se. Estava capaz de fazer isto:

Paráfrases da conversa de alguém que percebe do assunto

.
E há pessoas que são mesmo assim. Dizem que querem sofrer como os poetas porque isso é que é bonito. E é verdade, os melhores poetas foram todos uns desgraçados. Então acabam por tornar-se pessoas que gostam do sofrimento, só se sentem "bem" quando estão mal. Torna-se parte deles. Gostam de estar deprimidos.
Mas não se deixem enganar. Porque tornam-se assim e depois já não há volta a dar. É intrínseco ao que eles são.


Foda-se, foda-se, foda-se.

A noite é quase fria

.
O fino lençol de gelo cobre a superfície dos carros. O frio corta-lhe a espinha ao meio. Sente os músculos a enrigecer - as mãos do Inverno agarram-lhe os membros como um violador nocturno.
Há segredos escondidos no meio da penumbra. Os sonhos das pessoas que dormem dentro das suas casas saem à rua, submergem-na em ondas de um reino infectado.

Para ele, o único de bom neste frio é o gelar da cara. Desperta-o.

Há vinte anos que espera por acordar.

Não sei se é amor ao trabalho ou se 'tá mesmo a precisar de dinheiro

.
Voltei agora da rua. Estão no máximo 2ºcelsius. Évora é a única cidade que conheço em que no Verão o calor derrete-nos o corpo e nos deixa sem respirar e que no Inverno os dedos ameaçam cair devido a gangrena.

Seja como for, passei por um gajo no meio da rua a vender coca. A minha admiração pela sua coragem quase ultrapassa o meu desgosto.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Uma questão que todos nós deveríamos colocar a nós mesmos

.


Eu diria "todas, à excepção de uma ou duas".

Que, a propósito, é a única resposta correcta.

But if you think there's something else, well you're right, there is

.


Não posso ser só eu que todos os dias acorda e nos primeiros segundos de semi-consciência tem a ligeira esperança de que o Mundo inteiro esteja ao contrário.

Depois passa o turpor ébrio dos sonhos e apercebo-me que continua tudo na mesma merda.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº296)

Enquanto jogava Solitário no meu iPod.

"Pergunto-me porque é que nunca ouvi ninguém utilizar a expressão Jogar Solitário como eufemismo para masturbação."

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº295)

.
Comer Golden Grahams ao pequeno almoço é um pequeno ritual masoquista. Sabem melhor quando parecem lâminas na boca e no momento em que o leite as empapa perdem toda a piada.

Pensamentos Divergentes (nº123)

.
~ vazio ~
não pronunciei as palavras
por medo de me estilhaçarem os lábios à saída.

mas não me quebres o silêncio,
que as correntes que nunca nos deslizam nos dedos,
são aquelas que não queimam a pele das mãos que não agarram.

I wanna be your friend

.
Também têm daquelas pessoas que vocês não conhecem mas que gostavam que fossem vossas amigas?

Eu tenho muitas pessoas assim.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Pronto, já mudei o cabeçalho

.
Fica assim até ter tempo para fazer uma coisa mais gira. Além do mais, fica bem uma rena porque estamos na época natalícia.

Se não gostarem, podem ir p'ró raio que vos parta.

Sou um selvagem que não sabe habitar na sociedade moderna - Parte 2

Mais tarde...

Eu - Agora por isso... lembras-te quando éramos putos, aí no 6º ano? Estávamos numa aula de francês, acho eu.
D - Eish, já sei!
Eu - O ***** disse qualquer coisa na aula que eu achei estúpida e disse "Epá, *****, que machista caralho!". Só que não dei por dizer um palavrão. E realmente a professora e a turma ficou toda muito calada. Só à saída é que me foste perguntar se eu 'tava parvo e aí é que soube que tinha dito um palavrão.
D (risos)
Eu - Basicamente, utilizo palavrões como quem utiliza vírgulas.

Sou um selvagem que não sabe habitar na sociedade moderna - Parte 1

Ontem, enquanto passeava com o D à procura de um café decente, encontrei uma amiga minha que não via há algum tempo. Depois de nos despedirmos

D - Ouve, tu és cá um mal-educado, pá!
Eu - Então?
D - Fogo, pá! É impressionante.
Eu - Mas... que foi?
D - Que foi?! Fartaste-te de dizer palavrões!
Eu - Estás a gozar.
D - Tu é que deves estar a gozar.
Eu - Foda-se, não dei por nada.
D - E continuas. Então tu a falar com a rapariga não paravas de dizer palavrões.
Eu - Mas... tipo o quê?
D - "Olá ******, tudo bem caralho? Há imenso tempo que não te via, foda-se!"
Eu (rindo-me) - Ok, mas tu estás a falar a sério? É que não dei mesmo por nada.
D - A sério, pá! A rapariga é que não se pareceu incomodar, já deve saber como és. Quem não te conheça deve achar que és do Porto.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Alterações no blog

.
Vou fazer algumas. Ando farto do aspecto disto.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº294)

.
Eu costumo ir ao DeviantArt para ver coisas giras, mas depois encontro fotos de modelos super sexys e distraio-me.

Because all women are evil

.
Tenho dito muito mal dos homens ultimamente. Para equilibrar, deixo aqui uma pérola do Rei.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº293)

.
"Quando se é homem, pelo menos 30% do nosso tempo é passado a arranjar desculpas para as mulheres na nossa vida."

"Os outros 70% são passados a fazer merda para a qual teremos de arranjar desculpa."

25 Coisas que as mulheres não sabem (nem querem saber) sobre os homens

.
Desafiei-me a mim mesmo a escrever sobre 25 coisas sobres os homens que as mulheres não sabem nem querem saber.

Em primeiro lugar, não sou tão machista como vou parecer em seguida. Em segundo, é possível que mesmo assim me torne no blogger mais odiado da internet. Em terceiro, é certo que acabarei por me arrepender disto.

  1. Quase todos os homens que conheces já te imaginaram nua pelo menos uma vez, nem que tenha sido por uma milésima de segundo.
  2. Grande parte desses homens já pensou, nem que brevemente, em como seria ir para a cama contigo.
  3. A não ser que sejas terrivelmente feia, praticamente todos iriam para a cama contigo se tomasses tu a iniciativa.
  4. Nenhum homem alguma vez acreditará que a culpa não é do período se estiveres de mau-humor na altura do período. A mim também me parece lógico.
  5. Nós não somos fiéis por natureza. Cada molécula do nosso corpo grita a cada instante para fodermos o maior número de vezes possível com o maior número de mulheres possível. Por isso se tiveres um homem que te seja realmente fiel, valoriza-o e lembra-te que cada dia é para ele um enorme esforço ao qual ele só se dá ao trabalho porque gosta a sério de ti. E de ir para a cama contigo.
  6. Temos uma pila entre as pernas. É inevitável termos de coçar/ajeitar o material de vez em quando. Se nunca viram o vosso namorado fazê-lo é porque disfarça bem.
  7. Se lhes fosse dado a escolher, todos os homens estariam a viver num filme pornográfico.
  8. A propósito, todos nós gostamos que as mulheres sejam "porcas" na cama. Se lhe perguntares se ele gostaria que fosses mais porca na cama e ele disser que não é mentira e és uma parva se acreditares.
  9. É triste, mas durante todo o resto da nossa vida vamos precisar que nos digam que temos um pénis grande.
  10. Não, ele nunca vai mudar e não vais alguma vez conseguir que ele mude. Ele é o que é e vai ser sempre assim. Se achares que eu estou errado, ou é ele que é muito bom a fingir ou então és tu que és burra e te deixas enganar.
  11. Ele vai sempre fantasiar com uma ménage à trois com outra mulher. Sempre.
  12. O mais provável é ele já te ter acariciado ou dado a mão imediatamente após ter coçado o rabo ou ter tirado um macaco do nariz... Lamento imenso.
  13. Os homens são capazes de amar uma mulher com todo o coração. Aquilo de que não são capazes, no entanto, é de parar de olhar lascivamente para outras mulheres.
  14. Um orgasmo para nós é fácil e rápido de alcançar. Isso significa que quando vocês têm orgasmos é porque estão com um homem altruísta e merece ser respeitado por isso.
  15. É frequente, em dias de mais calor, termos suor nos testículos. Tentem não se lembrar disso quando estiverem numa esplanada com amigos do sexo masculino.
  16. Brincamos com o nosso pénis como quando éramos crianças pequenas. E fazêmo-lo mais vezes do que alguma vez o admitiremos.
  17. Nós não somos capazes de perceber dicas subtis. Somos burros dessa forma. Se precisam mesmo de alguém diferente para serem felizes, terão de passar a andar com outras mulheres.
  18. Mesmo que não pareça, às vezes damos o nosso melhor possível. Simplesmente por vezes o nosso melhor não é tão bom quanto isso ou então é possível que estejam a ser exigentes demais.
  19. Desde esta cena da emancipação feminina e dos direitos das mulheres que estamos todos muito muito confusos sobre o que podemos ou não fazer ou dizer ao pé de vocês. Não é por mal, é que sempre que abrimos a porta para uma mulher ficamos com peso de consciência por sermos machistas e se não a abrirmos ficamos com peso de consciência por sermos indelicados. Estamos sempre a escolher entre um peso de consciência e o outro e é fodido para caraças.
  20. Se vocês nos deixassem, nunca pararíamos de vos mexer nas mamas. Não importa o tamanho.
  21. Quando ele te mente (e acredita, ele já te mentiu), poderá ser por cobardia ou para não te magoar, mas provavelmente será um misto das duas.
  22. Ele tem computador? Então tem ou já teve, nalguma altura, um número considerável de pornografia no disco. O termo "considerável" fica aberto a interpretação pois eu já conheci gajos que eram exemplos dos extremos do espectro.
  23. Ele vai sempre querer ser o melhor amante que alguma vez tiveste, mesmo que só tenham estado juntos numa noite. É provável que passe o resto da sua vida a pensar nisso.
  24. Temos, na nossa mente, uma categoria para "amigas giras", "amigas feias" e "amigas mais-ou-menos". A quantidade de pessoas em cada categoria depende do gajo e, claro, das amigas que tem.
  25. Não é verdade que os homens estão sempre dispostos a sexo. Se as coisas estiverem muito muito muito mal e ele tiver problemas muito muito muito sérios e preocupantes, é possível que não esteja para aí virado. Mesmo assim não há garantias, mas é só para que saibam que é possível...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Devo ser um gajo mesmo muito feio

.
Hoje, um senhor velhote caiu à minha frente e não se conseguia levantar.

Fui a correr ajudá-lo, mas parecia mais ter medo de mim ou então ficou mesmo irritado comigo.

Já nem dá para fazer boas acções no Natal sem um gajo ficar com o mínimo de peso na consciência.

Gregor Samsa

.
Anda a ser cada vez mais difícil levantar-me de manhã.

Sit on your porch and pluck your strings

.
Estou viciadíssimo nesta música desde que a ouvi no blog desta menina.

A merda é que adoro músicas que se tornam alegres odes à tristeza. Gosto de músicas frágeis como galhos velhos e secos ao vento, congelados no tempo, uma milésima de segundo antes de se partirem.

Os vidros embaciados

.
Ele agarrou-a pelo braço para ela não fugir porta afora. Foi aí que ela começou a chorar.
Foda-se, parece de propósito. Nada me faz sentir pior do que vê-la chorar. É a puta da cereja no bolo.

- "Estás a chorar de raiva ou de tristeza?"
- "Não pode ser das duas coisas?"
- "Geralmente é de uma ou de outra", Mentiu.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

9 coisas sobre o dia de hoje. A 10ª coisa é segredo

  1. Tive uma boa noite de sono pela primeira vez esta semana. Consequentemente decidi aproveitar, fazer gazeta, e passar a manhã a dormir.
  2. Passei o dia inteiro sem fumar um único cigarro. A tosse persistiu, ainda assim.
  3. Atrasei-me para ir ter com Ela. Não ajudou a impressora ter dado o berro quando precisava de uns documentos.
  4. Encontrei pessoas que já não via há algum tempo. Os reencontros, por muito casuais que sejam, deixam-me feliz.
  5. Um ex-colega meu contou-me que a mãe tinha morrido recentemente. Senti imediatamente uma vontade diabólica de fumar. Ela não me deixou.
  6. Eu e Ela discutimos no carro durante uma hora. Depois comemos castanhas assadas e ficámos bem.
  7. Andei de patins no gelo pela primeira vez na minha vida. Só caí duas vezes, mas foi porque andei à maricas.
  8. Encomendámos pizza. Pedi também dois pães de alho e o senhor ao telefone repetiu "Dois pãn d'alhos". Não resisti rir ao telefone.
  9. Vi o District 9. É um bom filme.

Fui patinar no gelo

.
Estou todo dorido, portanto.

Vou ali repousar o corpo já que não posso fazer o mesmo com o ego.

*GRlHGAHGJLGLGL!*

.
"As vezes ficamos segos de amor;
E perdua-mos e esquece-mos todo o que nos fazem,
Conversa-mos e esclarece-mos todos os problemas"


Este é o início de um poema que li num blog. Tenham um feliz aneurisma, que eu já tive o meu.

Eu sou tal e qual assim quando me ponho a tocar guitarra para uma miuda para a tentar engatar

.

Pensamentos Divergentes (nº122)

.
Sei bem
(irrevogavelmente bem,
inexoravelmente bem,
intransigentemente bem)

todas as coisas que tu não me dizes.

Sei bem
(terrivelmente bem,
sufocantemente bem,
implacavelmente bem)

pois leio-tas no meu pensamento teu

You can see them fall

.
Também eu não tenho medo da morte. Vivemos todos à beira do precipício, prestes a cair.

Pensamentos Divergentes (nº121)

.
denuncia-lhe os lábios:
A infecção do passado,
o nosso filho bastardo,
cresce palmo e meio dia sim.

Vem,
puxa do cobertor e tapa-me os medos
de que este amor que nós temos
só serve para fodermos menos.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Os meus leitores querem desencaminhar-me

.
Tenho reparado que, quando um post meu reflecte um maior estado de tristeza ou consternação por minha parte, os comentários que recebo são, geralmente, a aconselhar-me a tomar álcool e/ou drogas.

Mas que raio de depravados são vocês?

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº292)

Na pausa do almoço

Colega1 - Eu sempre fui muito boa com caras. Antes quando reconhecia alguém na rua conseguia lembrar-me sempre de onde a conhecia.
Eu - Eu sou assim mas com partes do corpo feminino. "Conheço aquele rabo de algum lado".
Colega2 - Mas isso é geral nos homens.

É capaz de ser, é.

I'm a quitter

.
Não dormi nada de jeito nas últimas 4 ou 5 noites à conta de uma tosse persistente.

Merda, acho que vou ter de parar de fumar durante uns tempos.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Got to have the sticky hands

.
Um dia, este capitalismo vai dar cabo de mim e fazer de mim a sua puta.

O mesmo se aplica a todos vocês, por muito que acreditem no contrário.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº291)

.
Doce de chila/gila é a coisa mais nojenta de sempre. Quem inventou doce de chila/gila e se lembrou de o meter em tudo quando é bolo com o único propósito de o arruinar, era certamente a encarnação do Diabo.

Não confio e nunca confiarei em ninguém que goste de doce de chila/gila.

And every wave is tidal, if you hang around you're going to get wet

.
Porque se aproxima o Natal, Open your parachute and grab your gun.


"Give me one good reason not to do it."
"Because I love you."
"I'll still do it."

Lá fora chove, cá dentro ainda menos

.
Ela perguntou-lhe porque é que ele se fazia mal a si próprio. O porquê de gostar de sofrer.
E, principalmente, como era possível alguém viver assim.

Ela quis curá-lo, despejar-lhe todo o amor do mundo em cima como um balde de água fria para que o acordasse. Mas todo o amor do mundo escorregaria da sua capa impermeável para se afogar nas pedras da calçada, a seus pés.


- Promete-me que vais tentar ser melhor para ti.
- Não.

Desabafo de blogger, talvez de pessoa

.
Escrever aqui torna-se penoso. E há alturas em que parece uma luta demasiado grande. Principalmente quando se passam várias semanas e não gosto de nada do que faço.
Esta não será a última vez em que penso livrar-me disto. Mas há vezes em que preciso de escrever e bem que pode ser aqui. Não sei se por hábito ou por conforto.

A verdade é que ter cada vez mais gente a ler isto não ajuda. Ter cá cerca de 90 pessoas que não conheço de lado nenhum a lerem isto quase todos os dias é... assustador. Mesmo com as 10 pessoas que conheço é assutador, mais assustador ainda até.
Admito, tenho medo. Tenho medo do que as pessoas pensam. Conhecidas e desconhecidas. Tenho medo de ser "apanhado". Tenho medo de ser. E então mesmo aqui começo a vestir máscaras atrás de máscaras e isso enoja-me.

Nenhum de vocês me conhece, entendem? Isto que aqui está não sou eu, nunca vou ser eu.
São migalhas que trago à existência através da imaginação.

E nem é uma existência real.

Pensamentos Divergentes (nº120)

.
este não sou eu
o meu é um ser que flotua para me apanhar

cortem-me as nuances,
quero ser. (obtuso) «por talhar»

domingo, 6 de dezembro de 2009

Bye for now

.
Olá pessoal. É só para dizer que estou farto deste blog e não sei quando/se isso vai passar.

Vou mas'é passar algum tempo com a minha miuda.


Au revoir.
.

sábado, 5 de dezembro de 2009

I wonder who it will be

.


Estou há 3 dias a ouvir isto sem parar, sou capaz de ter um problema.

Mas porra, é tão fixe.
.

Googlices (nº18)

"O fantoche cebola" - ... Foda-se, o quê? Vocês já andam é a gozar comigo. Agora o que fazem é pegar em palavras do dicionário ao calha e juntá-las só para me darem cabo da cabeça.

"bolachas com recheio de chocolate" - São boas, não são?

"não,nunca,jamais" - Eu também acreditava que sim, mas depois um gajo cresce e percebe que afinal não.

"love my cock" - Isso é uma afirmação ou uma ordem? No caso da 1ª, bom para ti. No caso da 2ª, não obrigado.

"o que é estado catatonico" - Olha é o estado em que eu fico quando me dá a estupidez de fazer posts destes só com pesquisas do Google que vêm cá parar. Mas mesmo assim eu continuo a fazê-las. E porquê? Porque para além de estúpido sou masoquista, é por isso.

"MENSAGEM PARA UMA VAGABUNDA QUE GOSTA DE PEGAR O QUE É DOS OUTROS" - Esta fez-me rir. Bastante.

"moças quentes" - Se o teu problema são as noites frias, mais vale arranjares uma botija de água quente. Pela minha experiência pessoal, as mulheres costumam ter pés gelados.

"parvoice blogspot" - O que andas a tentar insinuar, ó Google?.

Pensamentos Divergentes (nº119)

.
A noite alimenta-o a inércia. Pergunta-se o porquê de não conseguir dormir quando está tão exausto, quando dorme tão pouco, cada vez menos.

É sinal de Depressão, dizem. Ou então são fantasma invisíveis, que estão lá sem que ninguém dê por eles. Estamos assustados e por isso não conseguimos dormir, só que não sabemos que estamos assustados.

Não sabemos que estamos assustados porque os fantasmas não existem.

Se a função da distribuição for muito cumulativa, não há-de sobrar nada de mim

.
Estava a precisar de descansar, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de sair com amigos e beber uns copos ao som de música Jazz, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de ser quem eu realmente sou, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de viver, mas estava a trabalhar.



Entretanto, não trabalho assim tanto como outras pessoas que conheço e sou na verdade um previligiado. Mas quando é que alguém me manda à merda para ver se eu alinho de uma vez por todas?

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Nem forçando o gordo chaminé abaixo

.

Eu estou a ver é que o Natal está quase aí a bater a porta e eu não sei onde vou ao tempo ou à paciência para andar a ver de presentes para presentear. Foda-se.

It's laughable

É ver o tempo a escapar-me entre os dedos das mãos e sentir-me impotente perante isso. É o cansaço acomulado de anos que se somam num número superior à minha idade. E é a panela de pressão sempre a ameaçar rebentar e que tenho de esconder constantemente.

Sleepy hands are creeping to the end of the clock

.
Não consigo dormir. Danny Kaye, ajuda-me.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº290)

.
O dia foi uma merda, sinto-me na merda, e sinto-me um merdas.

Se não fosse o Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band não sei o que seria de mim.

Holophonor?

.
A Eigenharp é um novo instrumento que... bem, faz um pouco de tudo.


Pai Natal, já sabes...

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº289)

.
Tenho uma coisa a admitir. Arranjei a Playboy onde aparece a Marge Simpson.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº288)

.
"O Amor é como a Gravidade. Não é a altura que te mata, é o impacto da queda."

Veio-me isto à cabeça. Entretanto não sei se é de algum sítio ou se são os meus neurónios a piscarem ao calha.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Pensamentos Divergentes (nº118)

.
na calma dos teus lábios assenta apenas uma nota:
o solilóquio de (nunca) se estar só.

interrompes
[a orquestra]
tiras
um cigarro
[acende-se a ponta]
puxas a melodia
[exalas a sinfonia]
e o tempo pára
por um breve tempo
[por um tempo
para parar]
.......
....
..

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº287)

.
A todos aqueles que alguma vez me disseram que "vivo num mundo da fantasia" ou que "ando sempre com a cabeça na Lua" tenho a dizer: Fodam-se.
Para viver num mundo de fantasia e para andar sempre com a cabeça na Lua tinha de estar desconectado da realidade, e se eu estivesse desconectado da realidade não estava tão a precisar de férias da dita cuja.

Se LSD fosse uma região, ia lá passar o Natal.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº286)

.
Hoje descrevi a cara de um gajo como "chapadável".

Defendo com veemência a validade da expressão utilizada.

Já todos passámos por algo parecido... Não é?

.

I guess I'll have to compromise

A alma dos olhos

.


A postura, a incerteza das mãos, o sorriso cortado... É fácil ver quando um homem foi derrotado. Admito que neste aspecto as mulheres são, sem dúvida, mais subtis. Mas não escapam os olhos.
É nos olhos que vemos uma mulher. E é o seu olhar que nos diz se ela ainda vive. E há aquele olhar morto, inconfundível, ao qual lhe foi roubado algo primordial, fundamental - um crime contra a natureza. É nesse olhar que se sente a precipitação da certeza indubitável de que não há volta a dar. O que lhe foi tirado nunca mais retornará. E agora resta a doença vazia por trás dos olhos.

Estou certo que alguns de vocês, ao ler isto, podem lembrar-se de exemplos concretos nas pessoas que já atravessaram a vossa vida.
E quando saírem à rua, vão reparar. São os outros olhos que dão vontade de apaixonar.

Ou então é só inveja.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Flashbacks de Conversas Passadas (nº17)

.
Alguém - É curioso. O T parece que chega a ser provocador.
Eu - Eu? Porquê?
Alguém - Gosta muito de debater questões, de conversar e de partilhar a sua opinião. Mas sempre que se trata daquilo que é mais próximo de si, aquilo que é realmente, esconde sempre. Então o que acontece é que é como se mostrasse um pouco de si mas depois não se deixasse agarrar.
Eu - ...

I'm afraid I'm a little rusty yet

.
Sou um homem de lata.

Quando bebo escrevo coisas destas

.
O problema é viver a vida consciente e tudo o que isso implica. Vai mais um copo de vinho?, perguntas-te a ti próprio. Cada trago afasta a ponta dos dedos negros, de tão negros cintilantes, que se aproximam da tua nuca e que desejam agarrar-te pelos ombros e violar-te a paz e o coração.

Largas uma hóstia de sabedoria pela boca, pousada na língua. Prontamente a tentas tapar com o filtro do cigarro. Não posso deixar nada escapar, nada. É pela boca que o peixe morre e eu tenho o terrível hábito de fazer de anzol de mim próprio.

Sentes-te amado? Hoje? Então e ontem? E que achas do amanhã? E se pudesses matar metade do mundo só para calar o barulho que te afoga o cérebro todas as noites, 15 segundos antes de adormeceres? Valia a pena?

O problema das tuas linhas de pensamento é que desfiam-te a alma. Um dia vais ser só bolas de cotão.

Factos

  • Estou bêbedo graças à quantidade de vinho que bebi.
  • Por causa disso estou melancólico.
  • Por causa de ambas coisas apetece-me tocar guitarra.
  • Vai-me custar imenso passar esta noite sozinho... não é sozinho. É passar esta noite só comigo que me vai custar.
  • Não sei quando vou adormecer, portanto.
  • O meu peito podia explodir de tão agridoce.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu sou assim

.
E depois uma pessoa que admiro demonstra confiança nas minhas capacidades e nem sei o que hei-de fazer com isso.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº285)

.
Uso a mesma escova-de-dentes há uns 5 ou 6 meses. Só hoje reparei que tem um botão que a faz vibrar.

Não sei se isto diz mais sobre a minha falta de atenção ou sobre os cuidados que tomo com a minha higiene dental.

Negligente

.
Eu sei, eu sei. Não tenho prestado atenção a este blog... Não sei que vos diga. Quando tenho trabalho é porque tenho trabalho, quando não tenho trabalho é porque não estou capaz de escrever.

Amanhã é feriado. Talvez hoje faça uma cura de álcool.

Parvoíce aos Quadradinhos (nº35)

.

Tenho-me sentido assim, ultimamente.

domingo, 29 de novembro de 2009

Tente mais uma vez, sopre com fervor

.
Ela não sabe assobiar e eu já não sei como lhe posso explicar melhor. Deixo-lhe aqui isto, pode ser que a inspire.

Estereótipos

.
Às vezes é bom tentarmos ver em que estereótipo encaixamos. Nem que seja para chegar à conclusão que não encaixamos completamente em nenhum e que continua a não ser desta que nos conseguimos definir.

O site Exactitudes é bom para isso.

Eu situo-me algures entre os Geeks, os Brandies e os Yupsterboys.
E vocês?

Suspeitos do costume

Já no carro depois de sairmos do café, que estava cheio de gente a ver futebol. Nós não ligámos ao jogo e estivemos o tempo todo a falar de coisas sem interesse.

D - Fogo, a miúda da mesa ao lado não parava de olhar para nós.
Eu - Não era só impressão minha, pois não?
D - Não pá, era terrível.
Eu - Até incomoda um gajo. Sempre que eu dizia "mulheres" a gaja olhava.
D - E não só. Estávamos a falar de literatura e ela olhava com uma cara...
Eu - Yah. Do género "Estes gajos caíram d'aonde?".

É sempre assim.

Há gajos com uma lata...

No café com o D

Eu - Vá esta pago eu.
Dono do café - Diga.
Eu - Para mim é um Moscatel.
D - Olhe, para mim também.

D - Isto parece que tem assim um certo travo a champanhe...
Eu - Não acredito, nunca tinhas provado Moscatel?
D - Eu não. Só pedi porque tu também pediste.
Eu - Quer dizer então que eu podia ter pedido a pior zurrapa à face da Terra que tu pedias o mesmo?
D - Quero lá saber. Eras tu a pagar.

sábado, 28 de novembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº284)

.
Ando a pensar meter nas minhas orelhas daqueles cartões que se vêem pendurados nas portas dos hotéis e que dizem Do not disturb.

Digo nas orelhas porque o cérebro não tem protuberâncias para pendurar seja o que for.
E sim, isto foi uma metáfora. Ofereço uma cigarrilha a quem perceber o significado, porque eu próprio ainda não cheguei lá.

Fucked in the head

.
Faz semanas que ando viciado nisto.

Comecei a escrever mas

.
não consegui acabar. Acho que ando uma daquelas fases.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº282)

.
Sempre que ouço o meu iPod na rua, dou por mim a andar ao compasso das batidas.

Alors, allez-y, venez danser

.
Vivo com a distinta sensação de que, quando morrer, haverá pelo menos uma mulher a beber champanhe e a dançar na minha campa.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Lista de pedidos para o Pai Natal

.
Querido Pai Natal. Sei que falta um mês, mas é melhor pedir já estas coisas. Não vás ficar apanhado nas compras de Natal de última hora em que é tudo uma confusão.

  1. Quero paz no mundo e todas essas coisas que eu sei que são impossíveis mas que peço à mesma nem que seja porque até parece mal não o fazer.
  2. Quero que os condutores passem a fazer piscas nas rotundas. E sê simpático que este ano eu já nem peço que seja sempre, só nas rotundas.
  3. Quero que a Mariana faça um desenho com a frase "Tenho o teu sémen no meu umbigo". Porquê? Porque acho a frase gira.
  4. Quero uma guitarra eléctrica nova. Uma Gibson. E também quero um Ukelele. E um banjo. Olha, um afinador novo também era bom, já agora. E o afamado piano de brincar que nunca consegui encontrar.
  5. Quero que Ela me dê um feliz natal em privado, várias vezes, durante várias horas.
  6. Quero poder beber muitos copos com os meus amigos mais próximos.
  7. Quero que toda a comunidade blogger aprenda a escrever. E é segundo as normas anteriores ao novo acordo ortográfico, porra.
  8. Quero que o Paulo Portas contraia herpes genital e se torne público, obrigando-o a ter de explicar a situação.
  9. Quero também uma garrafa de whisky do bom.
  10. Já agora, e por fim, quero também que isto do Natal pare de ser uma época tão capitalista e consumista. Mas só depois de me satisfazeres os 9 pedidos anteriores.

Morpheuridone

.
Gostava de poder matar fisicamente os sonhos que tenho enquanto durmo. Ou de pelo menos lhes dar uns antipsicóticos.

Mama?

.
Tenho uma regra geral para este blog. Se algo me faz rir mais do que uma vez, coloco aqui. Nem que seja para balançar a habitual tristeza que aqui transcorre. É o caso deste vídeo.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº281)

.
8 horas de trabalho, 15 minutos de almoço. Foda-se!

Uma simples experiência

.
Twilight, Crepúsculo, Robert Pattinson, despido, nu.

Querem ver o número de visitas neste blog disparar que nem um foguetão?



Actualização: Porra, não deu certo.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº278)

.
Vou-vos colocar uma questão hipotética.

Imaginem uma pessoa em que todos os dias mandam vir com ela no local de trabalho por causa da roupa que usa. Imaginem agora que um dia, poderia até ter sido hoje, levava para o trabalho a sua roupa mais crescida e em melhores condições, e mesmo assim ao chegar lá ouve pela centésima vez que continua a não estar devidamente apresentável.

Exactamente, que diz isso sobre dita pessoa em questão?

Googlices (nº17)

.
"tenho o carro riscado" - Olha, não o deves ter mais riscado que eu.

"OS MAIRE CARALHOS DO MUNDO" - Em primeiro lugar, tens de aprender a escrever como deve ser... ou isso era tudo entusiasmo? Em segundo, tens de aprender a escrever sem ser tudo em maiúsculas... ou era também o entusiasmo? Em terceiro, para que queres tu ver isso, hein?

"meu amigo faz anos hoje" - Dá-lhe os meus parabéns, então. E já agora vê se me consegues roubar uma fatia de bolo de anos.

"é que ando um bocado farto disto" - Foda-se, também eu.

"qual o efeito que os rebuçados de mentol faz na ercção do homem" - Depende... se meter os rebuçados directamente na erecção, refresca-lhe o pénis... Digo eu.

"hoje pareço um zombie" - Andas-me a roubar o look.

"homens ratos cobardia" - Eu se visse homens-rato também me acobardava.

"a minha vida é um tédio" - Arranja um passatempo, pá...

"moças quentes" - Não é época disso, parece-me. Todas as que conheço andam cheias de frio.

"pesquisa a gala e a galinha" - Há pesquisas do google que me dão vontade de conversar com as pessoas que as fizeram só para perceber o que raios está por trás delas.

Pensamentos Divergentes (nº117)

.
que força é essa dentro de ti
que é a tua maior fraqueza
que se alimenta de incerteza
e te faz duvidar

não lhe consegues dar um nome
porque ninguém a nomeou
e mesmo assim ela te consome
e te rouba a identidade

não tomes mais dessa mágoa
de nunca ninguém saber exactamente
quem tu és realmente
pois o que é real afinal

Everything you do I can do better

.
Alguém sabe se há alguns comprimidos que se possam tomar para aumentar a auto-estima?
É que acho que até me davam jeito e esta música já não faz o efeito que fazia.

Hein?

.
Eu - Eu não percebo o que é que esta gente vem fazer ao meu blog.
Ela - Ora, o teu blog é uma goluseima.
Eu - Hein?
Ela - Sim. Ver o teu blog é a primeira coisa que faço ao ligar a net depois de verificar os meus mails.
Eu - Sim, mas isso és tu.
Ela - Ora. O teu blog tem sempre qualquer coisa: partilhas pensamentos e sentimentos, falas de coisas interessantes, e costuma ter um pouco de humor.
Eu - ...

Pensei em mandá-la à merda mas achei que seria despropositado.

domingo, 22 de novembro de 2009

Flashbacks de Conversas Passadas (nº16)

Há 8 ou 9 anos atrás

Alguém - Esta música lembra-me de ti.
Eu - Porquê?
Alguém - Sei lá, tem a ver.

Parvoíce aos Quadradinhos (nº34)

.
Por vezes sinto-me completamente impotente, mas depois lembro-me que não o sou onde verdadeiramente conta.

Foda-se! (nº25)

.
No Público Online, no artigo sobre terem arquivado as escutas de José Sócrates, li o seguinte comentário de um leitor:

"Agora começo a entender a razão de Salazar ter uns tantos "Socialistas" nos calabouços. Libertaram-se e o esgoto rebentou... é por isso que o país cheira mal que tresanda !"


Esta é uma das razões pelas quais eu bebo.

sábado, 21 de novembro de 2009

Pensamentos Divergentes (nº116)

Sintonizem todas as estações
em todos os canais
Não larguem as televisões
e tudo o que houver mais

A notícia não saiu em nenhum óbito
muito menos nos jornais
Não foi gritado ao infinito
nem lido nos subtis sinais.

Não houve um piu assim que amanheceu
e toda a noite esteve calada
A verdade é que o nosso amor morreu
e ninguém deu por nada.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº277)

.
O que me fazia mesmo bem agora era estar a dar um concerto com uma banda pseudo-punk.

I can feel it coming

.
Estava capaz de pagar umas cervejas a estes gajos só por me terem animado um bocadinho à conta disto.

In a frozen ground


O Inverno é cruel. Há qualquer coisa no Inverno que me deixa terrivelmente melancólico.
Parece que tudo se arrasta. Talvez seja porque a miséria, como a chuva, ensopa tudo tornando-o mais pesado.

Pausa de sono

.
Ando um bocado farto das pessoas e do mundo. Pensei que depois de um intervalinho a dormir acordava e tava melhor, mas não.

Por muito que durma, o mundo continua um chato.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº276)

.
As 24 horas de um dia não me chegam para nada, foda-se.

Vem aí o Natal, pelos vistos

.
Eu não consigo evitar rir sempre que vejo isto.

Dependências

.

A dependência é sabermos que a droga, seja qual for a droga, nos faz mal. Sabermos que a droga inequivocamente nos faz mal, sabermos que a droga inevitavelmente nos faz mal, sabermos que a droga inegavelmente nos faz mal.

E mesmo assim ter vontade de a tomar.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A culpa é minha

.


Admito que a culpa é minha. A culpa é minha porque sou eu que acredito que a tristeza é algo extremamente belo. E por isso a depressão e a dor atraem-me como os braços de uma amante nua.

E por isso só estou contente quando não o estou. E é por isso que sou como sou.

E é por isso que um dia destes o meu coração já não aguenta mais.

Deliver us from evil and carry your own cross

.
Borrei-me todo ao ver isto. Mas no bom sentido.

Emancipação Andrógena

.
A verdade é que a nossa sociedade trata muito mal as mulheres. Pelo menos em questões sexuais.

Forçamos-lhes a ideia de que o sexo é algo mau, perigoso, que tem de ser sempre acompanhado por amor senão torna-se sujo e vergonhoso. É curioso que diz-se da virgindade que ela se "perde" como se se tratasse de uma perda irrecuperável, a morte da bela inocência. Só para as mulheres claro, homem virgem é maricas.
É que com os homens a acção sexual é perfeitamente natural. Temos um duplo padrão ao qual eu admito já ter sucumbido mais que uma vez.

Pura e simplesmente, por um prima moral, não é permitido às mulheres que sejam algo que não um ser assexuado. Tudo tem de girar à volta do amor, esse objecto idolatrado que disfarça a acção em si. Porque, sejamos honestos, sexo é uma coisa e amor é outra e são raras as vezes em que realmente cruzam em oposição às ocasiões em que não se cruzam.
Por isso também nos damos muito a eufemismos para mascarar a terrível verdade humana do sexo feminino. Do homem diz-se que está "excitado", da mulher que está "carente". Do homem diz-se que "quer foder" aquela mulher, da mulher que "acha o homem atraente". Do homem que "quer levá-la para a cama", da mulher que "está apaixonada".

E eu não censuro as mulheres por tentarem enganar o mundo todo, fazendo de conta que não têm impulsos animais exactamente iguais aos dos homens. É que vai a saber-se a verdade em relação a alguma e cai-lhe o mundo em cima. As mulheres compatriotas acabam por dizer mal dela e ostracizá-la para encobrir as suas próprias inseguranças, e os homens por alguma estúpida razão (ou pela falta dela) acabam por perder-lhe o respeito partilhando pormenores insidiosos, frequentemente falsos, com quem se dispuser a ouvir.
Uma mulher que seja capaz de ter relações sexuais ocasionais, sem problemas, é uma oferecida e uma puta desavergonhada. Um homem que faça o mesmo... tem simplesmente uma pila entre as pernas. (Claro que tudo depende do nível de maturidade e da forma como as pessoas encaram o sexo em si, mas isso fica para outro texto.)

Não posso ser só eu a achar isto ridículo.

Por isso faço-vos uma proposta. Vamos tentar acabar com isto, está bem? Acho que o mundo já teve mais que a sua parte de gerações sexualmente inibidas e opressoras. É assim tão difícil aprendermos a respeitar-nos a nós próprios e ao outro e deixar o acto sexual ser apenas a partilha de um momento de prazer no qual duas pessoas estão o mais fisicamente ligadas possível? Que as mulheres têm desejos sexuais iguais aos dos homens e que os homens têm sentimentos iguais aos das mulheres?
Bem que podiamos fazer um esforço, nem que seja para que os nossos filhos não saiam tão complexados como nós.

Eu, para ser sincero, acho que nos falta a maturidade para isso... mas porra, tentar não custa nada.
Ou melhor, custa. Mas custa menos que a alternativa.

Nothing is pure anymore but solitude

.
Hoje dei por mim a tocar isto numa guitarra. A verdade é que me tenho sentido um pouco assim... nos últimos 10 anos.

Conversa Parva (nº19)

Só para contextualizar, o G é um grande fã de Harry Potter. Tanto que às vezes até me chateia. Isso e eu gosto de às vezes falar inglês com os meus amigos, não me perguntem porquê. De qualquer forma, estava a dar-lhe uns pequenos murros só para me meter com ele

Eu - Faggot!
G - I'm not a faggot!
Eu - Yes you are!
G - Ow! That hurt!
Eu - Aaaw, poor little faggot. If I ever write a children's book it will be called The Marvelous Adventures of Poor Little Faggot and it will be about a boy who's just like you.

No carro, a dar-lhe boleia para casa

Eu - Ok, let's think about the titles of the books... The first Harry Potter one is Harry Potter and the Sorceror's Stone, right?
G - Yeah...
Eu - So this is a basic one, I'll just call mine Poor Little Faggot and the Sorceror's Stones.
G - Ok.
Eu - Next is Chamber of Secrets. Uh... Poor Little Faggot and the Anus of Secrets?

(...)

Eu - Third one, Prisioner of Azkaban. Oh, this one's easy. Poor Little Faggot and the Prisioner of Ass-kaban. Which totally sounds like the title of a gay porno.
G - Haha.
Eu - Next is the Goblet of Fire, right?
G - Yeah.
Eu - Ok, Poor Little Faggot and the Gobbling of Dicks.
G - I thought you would say something more like The Dick of Fire.
Eu - Well... yeah, it could be. If the book was about STD's - Sexually Transmited Diseases.

(...)

Eu - Ok, what comes next?
G - The Order of the Phoenix
Eu - Poor Little Faggot and the Order of Fucking, I don't know. Next.
G - Hmm... The Half-Blood Prince. That one's harder.
Eu - Yeah... Oh! Poor Little Faggot and the Half-Male Prince.
G - Good one!
Eu - And finally is...
G - The Deathy Hallows.
Eu - Oh, fuck... uh... Ah! Classic! Poor Little Faggot and the Deathly Swallows.
G - Ahahaha.


Sim, tenho consciência de que provavelmente sou o gajo mais anormal à face da terra.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº275)

.
Eu juro-vos que, ao fim de tantos anos, deixei de conseguir perceber se sou eu que me explico mal ou se são os outros que simplesmente não me compreendem.


P.S. - E ao fim de tantos anos ainda não aprendi a ficar só calado? Foda-se.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Inércia

.
Admito, esta manhã não fui trabalhar. Acordei com o despertador a horas, tudo nos conformes. Não me sentia doente nem nada, simplesmente não consegui arranjar forças para enfrentar o mundo lá fora.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº274)

.
Hoje é o Dia Nacional do Não Fumador.

Bolas, toda a gente tem um dia especial menos eu.

Oh...

.
A K sugeriu que eu sou parecido ao gajo/gaja deste vídeo. Além dos óculos não lhe vejo grande semelhança, mas posso estar errado.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Pensamentos Divergentes (nº115)

.
Olhamo-nos olhos nos olhos, mas não nos vemos uns aos outros. Procuramos o nosso próprio reflexo em escassos milímetros de escuridão circunscrita pela íris.
São tudo mentiras. Rebentamos sonhos para ver cores de um confetti de luz - as coisas mais belas são aquelas mais fáceis de destruir. A virgindade, não a de corpo, mas a virgindade da alma. Essa lâmina que dia após dia perde um pouco mais da certeza do gume.

Dói-me a língua. Tenho o corpo fraco. Tenho feridas nas mãos - umas de lutar, outras de amar, outras de acidente... Todas de escrever.

Minto. Sei bem que minto. Eu já só sei mentir.

Little boy in blue

.
Por muito que nos tentemos mudar a nós próprios há coisas que nunca mudam, há coisas que nunca mudam, há coisas que nunca mudam, anos passam e há coisas que nunca mudam, há coisas que nunca mudam e eu sou fraco, tão fraco.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº273)

.
A sorte do meu fígado é eu já não ter whisky em casa que eu hoje dava já cabo desta merda toda.

'Dass.

domingo, 15 de novembro de 2009

Mais vale tarde que nunca

.
Aos 23 anos de idade ando a aprender a ser pessoa.

Kick-Ass


Deixem-me explicar-vos uma coisa. O Mark Millar é um visionário da banda-desenhada.

Foi ele que escreveu o Kick-Ass que é a sua última BD a ser adaptada para o grande ecrã depois de Hollywood sodomizar o Wanted e tudo o que ele representava (nem o corpo nu da Angelina Jolie visto de costas chegou para acalmar a fúria com que saí da sala de cinema).

Já o Kick-Ass, felizmente, parece ter hipóteses de não ser uma grande merda, nem que seja por terem mantido a maioria dos elementos originais, bem como a profunda violência gráfica que caracteriza a BD. Seja como for, estou entusiasmado com esta adaptação que parece estar a ser muito mais fiel ao material original.

Sesguidores