sábado, 5 de dezembro de 2009

Se a função da distribuição for muito cumulativa, não há-de sobrar nada de mim

.
Estava a precisar de descansar, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de sair com amigos e beber uns copos ao som de música Jazz, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de ser quem eu realmente sou, mas tinha de trabalhar.

Estava a precisar de viver, mas estava a trabalhar.



Entretanto, não trabalho assim tanto como outras pessoas que conheço e sou na verdade um previligiado. Mas quando é que alguém me manda à merda para ver se eu alinho de uma vez por todas?

2 comentários:

marta filipa disse...

Só não estava num bom dia, e não me caiu bem, a música.

F. D. P. Carvalho disse...

meu caro, só não te mando à merda porque passei exactamente pelo mesmo que tu e tal como tu tinha um trabalho realmente privilegiado, o que fiz? como ninguém me mandou à merda, mandei-me eu à merda.

Sesguidores