domingo, 31 de maio de 2009

Ela volta hoje

.
Depois de uma semana que pareceu um mês, vou agora buscá-la ao aeroporto.

Não contem em hoje ter mais notícias minhas.

Isto é para mim o que os filmes do Saw são para as pessoas normais

.

Right hand in a trench coat

.
Acho piada que esta música pode-se associar a muita coisa recente, mas não vou explicar o quê.
Além do mais, para bom entendedor meia-palavra basta.


You know your french well
Didn't take any decision so far
Hit me like a freight train
Please consider my request

You do expect a Messiah
You want to be European
I would be your Bonaparte
Don't even care 'bout what Napoleon says

Well look out, look at, look at me
Calm down calm down I said to myself this time
Look at what you look like
You know it suits you well

Napoleon says to take off your coat
Take off your long johns too
Napoleon says to take off your coat
Take off your long johns too

Well look out, look at, look at me
Calm down calm down I said to myself this time
Look at what you look like
You know it suits you well

Right hand in a trench coat
Right hand in a trench coat

Napoleon says to come over here
Bring back your long johns too
Napoleon says to come over here
Bring back your long johns too

Well look out, look at, look at me
Calm down calm down I said to myself this time
Look at what you look like
You know it suits you well

Right hand in a trench coat
Right hand in a trench coat

Look out look out look out
Don't get yourself excited
Calm down calm down calm down
Go get yourself a white horse

Right hand in a trench coat
Right hand in a trench coat

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº135)

Ontem, ainda

Eu - Eu gostava era de saber onde anda a ****** para lhe poder dar esta coisa.
D - Uh? A Leonor o quê?
R - ...
Eu - ... Isso anda mau, hein?
D - Desculpa, não estava a prestar atenção. 'Tavam a falar do quê, mesmo?
R - O gajo 'tava a falar de uma ******, e tu falas na Leonor. Grande lapso freudiano.
Eu - Pois, acho que o D está apanhado por ela.
D - Eu nem a conheço, porra!
R - Pois, nem eu. Mas parece uma rapariga interessante.
D - Muito interessante... Estou a pensar em pintar o cabelo de castanho e comprar uns gelados quando andar de autocarro.
Todos (risos)
R - Olha, vai-te lixar que eu ainda encaixo melhor na descrição do que tu!
Eu - Que descrição, exactamente?
D - A nuca!
Eu - Ah!
R - Não interessa, encaixo melhor que o D.
D - Bolas...
Eu - Isto 'tá bonito 'tá. Querem que eu vos apresente mas'é a tal francesa?
R & D - 'Bora!

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº134)

Ontem

R - Desta mesa tu é que tens namorada e tu é que te andas a queixar sobre mulheres e que andas necessitado.
D - Realmente...
Eu - Não compreendes meu. Eu nos últimos anos habituei-me a, no mínimo, um beijo nos lábios por dia. Agora 'tou há uma semana em celibato absoluto. Custa, pá.
R - Epá, coitadinho. Eu 'tou há meses sem receber nenhum.
D - Pois, e eu então...
Eu - Eu sei que pareço bué estúpido a dizer isto em frente a vocês mas... epá, ao menos vocês já estão habituados, eu não. É uma questão de hábitos. Olha, imagina que durante um ano tinhas um orgasmo por dia...
R - Ui!
Eu - Quando chegasse o dia em que não tivesses um orgasmo sentias-lhe bastante falta, certo?
R - Ok, acho que esta conversa acaba aqui.
D - Concordo.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº133)

.
Um aviso:
Beber imperiais de borla é perigoso.

Agora vou-me ali deitar e já cá volto dentro de uma dezena de horas.

sábado, 30 de maio de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº132)

.
A tarde de hoje ajudou-me a tomar uma decisão definitiva. Não vou ter filhos.

Só me falta marcar a hora da vasectomia. De resto já informei os meus pais para não contarem com mais netos.

Coisas que não se fazem a um gajo na casa dos 20 e que não vê a namorada há uma semana, o que é sinónimo de celibato absoluto


  1. Perguntarem por Ela dezenas de vezes.
  2. Perguntarem outra dezena de vezes quando é que Ela volta.
  3. Perguntarem mais uma dezena de vezes se Ela hoje já deu notícias.
  4. Meterem-no na presença de uma rapariga bonita e simpática, de vestido curto e sotaque francês, e que por acaso até gosta de se meter com ele foda-se.

Socorro

.
A minha sobrinha faz hoje 4 anos. Estou-me a preparar mentalmente para ir à festa de aniversário dela, onde vou estar rodeado de anões mocados com açúcar e armados de brinquedos coloridos e barulhentos.

E nem sequer vou ter cerveja para me ajudar...

Se não voltar a dar notícias, fiquem a saber que foi um prazer. Mais ou menos.

Precisava de companhia para as minhas noites de insónia

.
E é só isso. Não tenho com quem conversar nas próximas horas.

10 minutos dá para muita coisa

A conversar com o D

D - Mas o que é que isso tem a ver com o resto?
Eu - Deixa 'tar, não chegas lá. É um dos meus problemas; é que eu sou muito avançado e depois as pessoas não me percebem, sou um gajo fora do seu tempo.
D - És muito à frente és... mas são 10 minutos à frente.
Eu (risos) - Olha, muito boa... vou meter essa no meu blog, deixa-me apontar.

Depois encontrámos o X, que não víamos há imenso tempo. Ficámos a beber umas cervejas e a falar das suas aventuras sexuais, de amor, de gajas, da inutilidade dos nossos dias e de política. Hoje soube-me bem.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Estamos nos 20, a caminho dos 60

.
Eu - Queres sair hoje?
D - Yup.
Eu - Ok, mas tenho um conjunto de regras. Pronto?
  1. Não é para ficarmos encafuados dentro de um café a noite toda.
  2. É para sermos gajos mais espontâneos.
  3. Estás proibido de referir ao longo da noite que não somos gajos normais.
  4. Levo eu carro, por isso podes (vais) beber mais do que um copo.
Eu - Agreed?
D - Já que não o posso fazer durante a noite... As pessoas normais não fazem regras numeradas do que podem ou não podem fazer à noite.
D - É só uma opinião.
Eu - É que vai-te foder.
Eu - AGREED OR NOT AGREED, DAMN IT
D - Ok, dawg.

D - Mas queres ir onde para além dos cafés?
Eu - Sei lá, meu. A ideia é não ter um plano nem nos agarrarmos a um sítio só. Vamos fazer de conta que temos menos de 30 anos.
D - Ok.

TPC para este fim-de-semana

.
É que TUDO o que eles aconselham eu faço ao contrário.


Communication Skills: How Can I Look More Approachable?

The white lady loves me more

.
Tenho algo a confessar já que me ando a despir neste blog perante olhos desconhecidos. Perdido por cem, perdido por mil.

Elliott Smith é o músico mais influente na minha vida, por várias razões. Tenho-o tentado afastar deste blog porque poderia engoli-lo totalmente quando eu tentasse exprimir coisas que ele já exprimiu bem melhor do que eu. E também porque quando me ponho a ouvir Elliott Smith é sinal de que alguma coisa não está bem.

Seja como for, hoje bebi um cocktail chamado White Lady e lembrei-me imediatamente desta música.
Agora vou ali para um cantinho deprimir, pensar em merdas que não devia pensar, e beber qualquer coisa alcoólica.




Keep your things in a place meant to hide
But I know they're there somewhere
And I know that's where you'll go tonight
I'll be thrown over just like before
The white lady loves you more

Need a metal man just to pick up your feet
It's a long time since you cared enough
For me to even be discreet
I know what this metal is for
The white lady loves you more

I'm looking at a hand full of broken plans
And I'm tired of playing it down
You just want her to do anything for you
There ain't nothing that you won't allow

You wake up in the middle of the night
From a dream you won't remember
Flashing on like a cop's light
You say she's waiting and I know what for
The white lady loves you more
The white lady

I was born for the stage

No caminho para casa, com o D

Eu - Anima-te, foda-se!
D - Mas porque é que toda a gente quer que eu me anime? Eu não sou um gajo naturalmente animado. E tu também não, por isso deixa-te de coisas!
Eu - Ok, mas eu disfarço bem.
D - E achas bem disfarçares bem?
Eu - Acho.
D - Olha que não.
Eu - Cala-te.

Sinto-me só

.
Queria estar ao ar livre, a beber e a fumar à vontade, na companhia de alguém interessante com quem falar.

Foda-se.

A saída de hoje

No carro com o D a conduzir

Eu - Ainda por cima hoje é uma saída só de gajos...
Eu (batendo no tablier do carro) - É isso! Vamos ao bar de strip!
D - Estás doido?
Eu - Bora lá, caralho!
D - Vai-te lixar, vou nada a isso.
Eu - Nunca alinhas em nada, foda-se.
D - Olha, para isso ficas mas'é quietinho em casa a ver meninas nuas na internet, não é melhor?
EuNegrito - ... Não, porra! Olha, se o R alinhar e tu não, não páro de te chatear os cornos durante o resto da noite.

No café, com o R

Eu - É verdade! R, queres ir ao bar de strip?
R - Bora.
D - Foda-se.
Eu - Estás a ver? És tu que és maricas.

O resto da noite foi dominada pelo cocktail efeminado que pedi, pelo R a ler "O meu pipi" em voz alta e a sonhar com o vestido preto de uma rapariga que conheceu, por mim e pelo D a tocar piano, e pelas minhas duas vitórias consecutivas no xadrez.


P. S. - O do bar de strip é no gozo, era só eu a tentar ter uma noite mais espontânea. Mas quando eu sou o gajo mais extrovertido do grupo, está tudo perdido.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Fujo a sete pés quando próximo de uma rapariga/mulher

  1. que está toda vestida em rosa-choque
  2. que trata as suas amigas por "meninas" sem ponta de gozo ou ironia
  3. que tem um blog onde mete fotos de gajos que são "um pão"
  4. que actualiza o hi5 todos os dias
  5. para a qual entrar num bar é sinónimo de engate
  6. que diz que "está desejando casar e ter imensos filhos"
E esta lista podia continuar indefinidamente, mas estou a morrer de fome. Vou jantar.

Não sou suficientemente plástico com as pessoas

.
Tenho uma t-shirt do Plastic Man que, para quem não sabe, é uma personagem da DC Comics que faz parte da Liga da Justiça e que é o máximo.
Sempre que a uso, há pelo menos uma pessoa que a comenta dizendo alguma coisa idiota como "Ah, Plastic Man, dos Fantastic Four".

E eu ao início ainda corrigia dizendo "O dos Fantastic Four é o Mr. Fantastic, uma personagem da Marvel Comics. O Plastic Man é de outra banda-desenhada", e fazia figura de completo cromo paspalho.

Já não me dou ao trabalho de corrigir, mas não vos passa pela cabeça o quanto isto ainda me irrita.

Eu, de facto, não sou normal.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº131)

.
Encontrei uma cena da qual já não me lembrava. Há uns anos fiz um cinto a partir do strap estragado de uma guitarra.

Hoje vou usar essa merda.



Sometimes i'm so cool it hurts my brain.

My nights about the same

.
Alerta vermelho, o gajo já entrou na fase de ouvir blues e Ela só volta no Domingo.



My days are getting lonely, my nights about the same,
I'm so used to hearing you call my name
That's why I'm grieving, baby will you please come home
And if you don't come back home, I know I won't last long.

I laid my head on the pillow, I found an empty space,
but there's no one else could fill your place
That's why I'm grieving, I'm all alone.
And my heart won't stop bleeding... baby will you come back home?

Babe, listen to my pleas
Baby, baby, listen to my pleas
Will you come back home?
I'm slowly dying on my feet.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº130)

Estou com dor de cabeça à ressaca. Foi mais ou menos esta a minha reacção quando acordei:

"O quê? A sério? Foda-se."


P. S. - Já alguma vez mencionei que acho que o café é a melhor criação da humanidade?

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Ela hoje não deu sinais de vida

.
Nem sequer um mail.

Rabiscos (nº12)

.
A coisa 'tá a ficar feia...


Coisas Que Um Gajo Coiso (nº129)

.
Sem Ela na minha vida tudo tem menos piada, menos cor...

E agora, se me derem licença, vou dar um tiro nos miolos por ter dito algo tão foleiro e lamechas.

Still my heart beats so slow

.
Roubei isto de outros blogs, mas não consegui mesmo resistir. My body is a cage, dos Arcade Fire, acompanhado de imagens do Once Upon a Time in the West.

É a coisa mais genial que vi este mês. E já vi pelo menos uma dúzia de vezes.



Fuck.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº128)

.
Gosto de cerveja. A cerveja faz com que qualquer problema pareça menos afiado.

Rabiscos (nº11)

.
Ando com uns pensamentos um bocado negros, por isso cuidado com o vampiro à entrada do blog.

Ele morde.

O maior Se até agora

.
"Sei lá eu se sei"
.

Pergunta:

.
Já alguma vez decidiram não abrir a boca para não vos sair qualquer coisa que não querem dizer?

Isso também me acontece às vezes com este blog.

Parvoíce aos Quadradinhos (nº29)

.

Ando um bocadinho assim.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº127)

.
Perco anos de vida quando fico no lugar do passageiro com a minha mãe a conduzir.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Ciclo infinito da patetice

.
Estou a tentar criar um algoritmo para tentar calcular o quão patético é estar sozinho, fechado em casa, a tocar músicas melancólicas na guitarra e a ver episódios do How I met your mother, enquanto tento criar um algoritmo para tentar calcular o quão patético é estar sozinho, fechado em casa, a tocar músicas melancólicas na guitarra e a ver episódios do How I met your mother, enquanto tento criar um algoritmo para tentar calcular o quão patético é estar sozinho, fechado em casa...

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº126)

.
Um dos meus pequenos prazeres secretos é, quando estou a conduzir num sítio deserto, gritar do fundo dos pulmões.

É muito terapêutico e recomendo.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº125)

Mais uma das razões pelas quais é dificil ser-se meu amigo.

N - Vieste da casa de banho com um ar demasiado aliviado, estás bem?
Eu - Fogo!
P - Vá, que é que te aconteceu desta vez?
Eu - P... já te aconteceu alguma vez achares que não tinhas feito nada... e quando te levantas e olhas para baixo encontras o monstro de Loch Ness?
P - ...
N - ... Foda-se!

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº124)

.
As minhas calças favoritas têm um rasgão num local muito inconveniente mas 'tou-me a cagar.

My fever burns me deeper

.
É assim que me sinto desde que me lembro, e é assim que me sinto nas relações... e sim, eu sei que isto faz de mim uma autêntica gaja.
.
Mesmo assim, se não fosse comprometido, ia para a cama com a Fiona Apple num piscar de olhos.



You'll never see the courage I know
Its colors' richness won't appear within your view
I'll never glow - the way that you glow
Your presence dominates the judgments made on you

But as the scenery grows, I see in different lights
The shades and shadows undulate in my perception
My feelings swell and stretch; I see from greater heights
I understand what I am still too proud to mention - to you
You'll say you understand, but you don't understand
You'll say you'd never give up seeing eye to eye
But never is a promise, and you can't afford to lie

You'll never touch - these things that I hold
The skin of my emotions lies beneath my own
You'll never feel the heat of this soul
My fever burns me deeper than I've ever shown - to you
You'll say, Don't fear your dreams, it's easier than it seems
You'll say you'd never let me fall from hopes so high
But never is a promise and you can't afford to lie

You'll never live the life that I live
I'll never live the life that wakes me in the night
You'll never hear the message I give
You'll say it looks as though I might give up this fight

But as the scenery grows, I see in different lights
The shades and shadows undulate in my perception
My feelings swell and stretch, I see from greater heights
I realize what I am now too smart to mention - to you

You'll say you understand, you'll never understand
I'll say I'll never wake up knowing how or why
I don't know what to believe in, you don't know who I am
You'll say I need appeasing when I start to cry
But never is a promise and I'll never need a lie

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº123)

.
Uma briga entre duas mulheres perde todo o seu apêlo quando somos apanhados no meio.
.

Sinto-me um bocado sozinho...

.

Ou então um bocadinho mais do que "um bocado".

Ele ferve

.
Detesto esta sensação de pressão acumulada que sinto quando fico em frente à tela vazia do ecrã, querendo empurrar algo cá para fora sem sucesso.
Queria dizer algo profundo, simples mas vasto. Algo que fosse uma insustentável e inabalável verdade cósmica e pessoal.
Queria pegar nesta coisa que há dentro de mim, a que alguns chamam de alma, e resumí-la num conjunto de linhas mas não consigo.
.
A verdade é que tudo quanto mostro ou tento mostrar são reflexos de um espelho deformado. Queria que isso mudasse durante apenas uma noite. Queria mostrar verdadeiramente o quanto sinto (e aqui queria escrever "o quanto amo").
Talvez estejamos tão habituados a esconder o que sentimos que se torna um reflexo aprendido, difícil de quebrar.
.
Ou se calhar sou só eu que tenho esta rolha no coração.
.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Small victory

.
Hoje, pela primeira vez, atingi 100 visitas num só dia.

Yay?

Será que isto conta?

.
Apetecia-me escrever aqui alguma coisa que fosse profundamente sincera, mas não me lembro de nada.

Rabiscos (nº10)

.
Apeteceu-me desenhar alguma coisa parva, por isso desenhei a B versão pirata.
.

.

Dizem as más linguas...

.
Dizem as más linguas que ele tem um outro lado que quase ninguém conhece.

Dizem as más linguas que ele guarda dentro de si um outro ele que é mais doce, mais profundo, mais frágil, e que se preocupa demasiado pelos outros e pelo mundo.

Dizem as más linguas que o resto é tudo teatro.


Nunca gostei de boatos.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº122)

.
Apetecia-me aprender Beatbox, só porque sim.

Mas também acho piada não conseguir fazer nada de jeito e parecer antes um javali constipado.

Ele viu-a no canto oposto e o sentimento foi instantâneo e mútuo. Mas o seu amor era proibído pelas sociedade em que viviam

.
Hoje quis imaginar a estória de um amor impossível.

Saiu-me isto:


Eu sei, preciso de ajuda.
.
E o pior é que agora nunca mais consigo jogar um Jogo do Galo sem me sentir comovido...

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº121)

.
Pelos vistos, a ausência d'Ela dá-me para ter insónia.

E pelos vistos, a insónia dá-me para me meter em frente ao espelho a tentar fazer um penteado à Elvis enquanto abano as ancas ao ritmo da Blue Suede Shoes, que está a tocar somente na minha cabeça.

What the hell is wrong with me?
.

Porque me fazes isto, Wikipédia?

.
A propósito de eu fumar muito...

"A very large percentage of schizophrenics smoke tobacco as a form of self medication. (...) Some studies suggest that a link exists between smoking and mental illness, citing the high incidence of smoking amongst those suffering from schizophrenia and the possibility that smoking may alleviate some of the symptoms of mental illness, but these have not been conclusive.

Recent studies have linked smoking to anxiety disorders, suggesting the correlation (and possibly mechanism) may be related to the broad class of anxiety disorders, and not limited to just depression. (...)

Data from multiple studies suggest that anxiety disorders such as depression play a role in cigarette smoking. A history of regular smoking was observed more frequently among individuals who had experienced a major depressive disorder at some time in their lives than among individuals who had never experienced major depression or among individuals with no psychiatric diagnosis. People with major depression are also much less likely to quit due to the increased risk of experiencing mild to severe states of depression, including a major depressive episode. Depressed smokers appear to experience more withdrawal symptoms on quitting, are less likely to be successful at quitting, and are more likely to relapse. "
.
... Foda-se.

I'll be waiting

.
Ela estará, neste momento, a caminho do aeroporto.

Vai para fora durante uma semana.
.

Foda-se! (nº19)

Há umas noites atrás, por telemóvel

Eu - Ouve lá, aquilo 'tá combinado para as 10 horas, não é?
Colega - Sim... então?
Eu - Epá, não ligues. Ando bué desorientado. Vá, obrigado, até logo.
Colega - Espera espera! Antes que desligues... Sabes dizer qual é que é o animal mais mau de toda a selva?
Eu - ... Eu digo-te que ando desorientado e vens-me com merdas destas?
Colega - Vá, qual é que é o animal mais mau da selva? Desde pequeno que ouves dizer.
Eu - Não sei, diz.
Colega - Experimenta adivinhar!
Eu (a provocar) - O diabo da tasmânia.
Colega - Não, foda-se! Diz outro!
Eu - Pronto, eu alinho. O leão.
Colega - Não! É o pintão!
Eu - Quê?
Colega - O pintão. Sabes porquê?
Eu (preparando-me para a desgraçada) - Diz-me.
Colega - Então, não sabes? É que desde pequeno que ouves dizer que "O leão não é tão mau como o pintão".
Eu - ...

Desliguei-lhe o telemóvel na cara.

domingo, 24 de maio de 2009

Observado

.
Às vezes este blog faz-me sentir um pouco assim.

O meu cérebro precisa de ser internado

.
Vamos ver.
Hoje sonhei que tinha ido para o Canadá para lhes mostrar que conseguia derrubar os seus edifícios em miniatura e que não valia a pena tentarem invadir-nos com eles.
Depois eles tentaram capturar-me e eu andei a fugir e a esconder-me naquilo que me parece ser a mansão da Família Adams.
Finalmente acabam por me deixar ir embora, mas num golpe à Koreia do Norte fazem do meu amigo Rambo refém e eu tenho de me disfarçar de indiano barbudo com turbante para o encontrar e libertar enquanto fujo de uns capangas.
O sonho terminou com os tais capangas a fazerem de mimos e a jogarem voleibol com uma bola imaginária, enquanto eu comprava a alguém fotos minhas a tentar não ser esmagado por um comboio.

Melhor videoclip DE SEMPRE?

.


Acho que não resta margem para dúvidas. Mas caso não estejam convencidos, experimentem vê-lo menos sóbrios.

sábado, 23 de maio de 2009

Queima das quantas?

.
Vou fazer de conta que não existe Queima das Fitas na minha cidade e vou beber um ou dois copitos de vinho. Até mais logo.

Hoje sinto alguma coisa aqui presa


Não sei é o quê.
.

They say I'm crazy, got no sense

.
Eu depois de alguns copos (alguns bons copos), fico mais ou menos assim. Pouco me falta para me pôr a cantar isto na rua. Só me falta é o vestido vermelho.

Saudades de ser criança

A minha sobrinha saiu disparada do meu quarto, a correr, sem nenhuma razão aparente

Eu - Onde vais?!
Sobrinha (super casualmente) - Não sei.

Artes plásticas II

Quando voltei lá abaixo

Eu - Então o cão? Desfizeste-o?
Sobrinha - Sim. Agora tens de fazer outro.
Eu (em pensamento) - Foda-se.

Artes plásticas

A minha sobrinha estava a brincar com plasticina e pediu-me (ordenou-me) para a ajudar. Então depois de fazer um osso e uma tigela...

Sobrinha - Faz um cão agora.
Eu - Um cão? Olha que isso já é mais complicado...
Sobrinha - Faz.
Eu - Está bem...

Eu (mostrando-lhe uma coisa qualquer com quatro patas) - Olha, faz de conta que isto é um cão, está bem?
Sobrinha - Sim...
Eu - ... Acho que isto é um cão muito mal feito.
Sobrinha - Eu também...

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Hoje vou sair, espairecer, beber um café

.

Se me virem à porta de um bar ou de um café, sintam-se à vontade para me cumprimentar.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº120)

.
Estive uns bons 3 minutos à procura do meu relógio de pulso quando já o estava a usar.
.

Todos bebemos xixi

.
"A tripulação da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) bebeu quarta-feira pela primeira vez água conseguida através da reciclagem do suor e urina dos astronautas."
.
Não tenho nada contra. Parece-me uma prática importante no futuro embora meta nojo a muita gente que não se lembra das implicações do ciclo da água.
.
E também não tenho nada contra um pouco de humor de mau gosto, mas achei algo excessivo terem baptizado o chuveiro que irá usufruir do mesmo processo de reciclagem de Golden Shower.

Acreditem no que digo


Um dia ainda vou andar numa coisa destas.

Sometimes it's great, sometimes it's not

.
Dizem por aí que eu fumo demais...



I smoke a lot
I'm not talking weed or pot
I smoke the regular stuff
I smoke a lot
And if you're a smoker too
You are to know sometimes it's tough
To be in healthy company
People who always say
You smoke a lot
Imagine the amount of money you could save if you'd quit
You smoke a lot
By now you'd have a bike, aren't you concerned about the kids
Well, of course, sure I am, concerned (a bit)
But about that bike, I could get killed with it
And is that what you really want
(It's not)

So I smoke a lot
I smoke a lot
My God I smoke a lot, and I feel fine
And I feel fine
I smoke a lot

I smoke a lot
I smoke a lot
I smoke a lot
I smoke a lot
Sometimes it's great
Sometimes it's not
But I smoke a lot
I smoke a lot
I smoke a lot
I smoke a lot

Conversa Conjugar (nº26)

A fazer umas parvoíces

Ela - És tão parvo...
Eu - Eu devia era ter ido para teatro.
Ela - Também acho.
Eu - Então porquê?
Ela - Porque enganas toda a gente.

Stock limitado

.
Pergunto-me se algum dia ficarei sem mais nada para dizer.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Se eu pudesse ter várias vidas

.
Queria uma vida só para a desperdiçar.

Queria uma vida só para sonhar.

Queria uma vida para amar sem medo.

Queria uma vida sem pestanejar, fixado nos seus olhos azuis.

Queria umas quantas vidas para poder ser tudo.

E outras quantas para poder ser apenas eu, sem aditivos.

Queria uma vida inteira para a passar a fazer amor.

Queria uma vida para contar as estrelas do céu sem qualquer outra preocupação.

Queria uma vida para guardar pedras no coração.

E outra para as deitar fora.

Googlices (nº6)

.
"musica para ir ao cu" - Eu até tenho medo de perguntar... queres isso para quê, pá?

"coisas estranhas.com" - Foda-se, a sério? Esta pesquisa vem parar aqui?

"sonhar que sou um montro" - Se querias dizer "monstro" então sim, também já me aconteceu.

"stress no homem é maior" - "e a causa é a mulher".

"avos a fazer sexo free free" - ... Tenho curiosidade em saber o que é o "free free", mas algo me diz que é melhor permanecer na ignorância.

"soma da morte" - Também conhecida como "Vida" (estamos filosóficos hoje).

"frases de pensamento hipotético -filosofia" - Diz que sim (estamos estamos).

"mamalhudas boas" / "boas mamalhudas" / "moças mamalhudas" - A vocês não vos passa pela cabeça a quantidade de gente que aqui vem parar através destas pesquisas, e eu nem faço ideia da desilusão que devem apanhar quando aqui chegam.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº119)

.
Hoje, a rapariga madeirense viu-me à distância e sorriu para mim durante 5 segundos sem quebrar contacto visual.
.
Fiquei envergonhado.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº118)

.
Faz parte de ser um homem desleixado todos os dias olhar para o espelho e pensar "Amanhã. É amanhã sem falta que faço a barba", mesmo que usêmos máquina de barbear apenas para aparar e demore 2 minutos.

Aposto que se EU tivesse um tapete voador também engatava qualquer miúda que a mim me desse na gana

.
Porque raios é que a música do Alladin não me sai da cabeça? É que isto chega a ser tortuosamente irritante, foda-se!

Se Videojug for a minha bíblia, a minha alma não tem salvação possível

.
Gosto muito que exista este site para eu poder lidar com a minha inaptidão para situações sociais de todo o tipo, mas a quantidade de tempo que eu passo a ver os vídeos confronta-me com a suspeita de que tenho uma forma qualquer de autismo por diagnosticar.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº117)

.
"Tive um furo na alma e não tenho pneu sobressalente".

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº116)

.
"Se eu fizer de conta que estou morto, então não tenho de ir à aula".

Rabiscos (nº10)

.
As tostas mistas são boas para a minha fome de urso




Aviso: Não criei esta imagem com intenções ursistas. Não considero que os ursos devam ser descriminados de qualquer forma ou que têm mais fome que os outros mamíferos. Este post é meramente satírico e não pretende ofender ninguém do reino animal, vegetal, ou mineral.

.

P. S. - Se alguém conhecer um software mágico que trabalhe em vectores como o Corel Draw, que tenha sensibilidade e opções de regulação de hardware Wacom como o Photoshop, e que permita a variedade gráfica do Corel Painter, faça o favor de me informar porque estou farto de tentar usar tudo ao mesmo tempo com resultados de merda. Eu devia era dedicar-me a estudar o Painter mas é que não tenho tempo/paciência.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº115)

.
Agora ando com dois telemóveis com números diferentes e eu até me sentia uma pessoa importante mas nunca recebo telefonemas.

Se eu tivesse o coração do lado direito do peito...

.
... Será que sentia tudo ao contrário?

7 pequenas coisas estranhas com as quais tenho de viver todos os dias

.
1 - Sinto dor no dedo grande do pé direito sempre que o ponho numa certa posição e não sei porquê.

2 - Não consigo comer nada que eu reconheça como um "cadáver" no meu prato, ou seja, algo que venha de corpo inteiro (camarões, peixe, caracóis), porque sinto peso de consciência e alguma repulsa vá.

3 - A B é uma das minhas melhores amigas desde os meus 16 anos e só estive pessoalmente com ela duas vezes em toda a minha vida.

4 - Detesto cerejas mas adoro doces com sabor a cereja.

5 - Reparei que a maioria das raparigas quando espirram dão sempre dois ou mais espirros de seguida e acho isso estranho e fascinante ao mesmo tempo.

6 - Demoro imenso tempo a atar os ténis porque distraio-me sempre com algum pensamento, não sei porquê.

7 - O cão da vizinha olha para mim de uma forma que não me deixa minimamente confortável, como se dentro da sua cabeça me estivesse a chamar nomes feios.

Hoje apetecia-me

.
construir a miniatura de uma cidade em cartolina, com um monstro de pasta de papel a destruir tudo e a cuspir fogo em celofane, enquanto tanques e soldadinhos de papel lhe disparam confeti mortífero.

"How am I not myself?"

.

Para ver se saio de vez deste poço de emo-ness em que me enfiei, vou passar o dia a ouvir uma música que sempre conseguiu deixar-me um pouco melhor. E sim, é do Jon Brion.

É a música essencial do filme I Heart Huckabees, que eu aconselho a qualquer pessoa com meio cérebro e meio coração. É um filme que trata de gente parva a tentar encontrar o significado da vida, com muita filosofia e existencialismo à mistura. Ah e tem o Dustin Hoffman, o que é uma mais-valia para qualquer filme.

Esta música reflecte bem aquilo que eu costumo sentir e, ao mesmo tempo, parece ser um amigo próximo a dar-me bons conselhos aos quais nunca dou ouvidos.

Se calhar hoje até vejo o filme pela 5ª vez...



It's something unattainable
That you can't live without
And now the unexplainable
Has you riddled with doubt

Things began, things decay
And you've gotta find a way to be okay
But if you wanna spend the day
Wondering what it's all about
Go and knock yourself out

Why we're put in this mess
Is anybody's guess
It might be a test
Or it might not be anything
To be too worried about
But if you're still in doubt
Go and knock yourself out

Flashbacks de Conversas Passadas (nº12)

.
Há vários anos, a passear por uma rua em Lisboa, após várias cervejas bebidas numa tarde solarenga.

V - You know about the yellow brick road?
Eu - "Follow the yellow brick road?"
V - "Follow the yellow brick road!"
Eu & V - Oooooh we're off to see the wizard! The wonderful wizard of Oz! Because because because because becaaaaause... because of the wonderful things he does!

Isto aos pulinhos rua abaixo enquanto assustávamos as pessoas à nossa volta.

Nota a mim mesmo:

.
Lembrar-me de não voltar a decidir ver um documentário sobre pedófilos antes de ir dormir.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº114)

.
Sinto que atingi um novo baixo quando, à noite e ao frio, atravesso o meu quintal de boxers para ir buscar uma cerveja à garagem.

Rabiscos (nº9)

.

E efervescente também, pelos vistos.
.
.
P. S. - Substitui "Científico" por "Químico" porque gosto mais. E quem tentar fazer alguma alusão a My Chemycal Romance leva um pontapé no rabo. Estou a falar a sério..

terça-feira, 19 de maio de 2009

Atitudes minhas que tenho de corrigir

.
1 - Deixar de despachar as pessoas a meio de uma conversa porque estou ansioso demais e já só penso em fumar um cigarro e esquecer o dia de merda que ainda mal começou.

2 - Tentar ser outra vez aquele gajo bem-disposto e meio despreocupado que vinha aqui escrever há uns tempos atrás.

3 - Ser capaz de admitir a alguém que o que disse me magoou.

4 - Levantar-me mais cedo, fazer algum exercício, e criar um horário de trabalho que eu cumpra à risca.

5 - Tentar dizer menos palavrões no dia-a-dia. Pelo menos reduzir o número para um só palavrão por frase.

6 - Cravar menos cigarros.

7 - Deixar de mandar bocas que fazem com que os outros se sintam mal.

8 - Seguir os compromissos que cumpro.

9 - Começar a comer de forma menos errática e mais saudável.

10 - Deixar de desistir de tudo quando chego a meio.

Sabática

Ela hoje proibiu-me de escrever coisas minimamente deprimentes no blog. Por isso tenho jogado pelo seguro e não escrevi nada...

domingo, 17 de maio de 2009

Visita esperada

.
Passavam dez minutos das cinco-e-meia da tarde demais, quando a Mágoa lhe bateu à porta do coração. No ventrículo esquerdo, para ser mais preciso.
Bem sabia quem o aguardava por trás daquela porta, já era costume. Há muito que eram amigos de ocasião e era habitual buscarem a companhia um do outro para passeios e cafés nocturnos. E o próprio acaso tinha o vício de os juntar casualmente na rua, sem hora ou intenção combinada.
Decidiu recebê-la com uma cerveja e um cigarro. "A Mágoa gosta destas coisas", pensou. "E calha sempre bem".
Abriu a porta de bom grado e o baque foi instantâneo. Ela sempre o seduzira, mas ele jamais seria capaz de o confessar a alguém. Sentia-se tentado a afundar nela, beber dela eternamente e dentro dela se perder para o resto do mundo. Este desejo assustava-o mais que qualquer outra coisa, mas ele jamais seria capaz de o confessar a alguém.
Foi ela a primeira a falar, com um sorriso.
- Então, estás bom? Sei que nos temos visto muito ultimamente, mas apeteceu-me fazer-te uma visita.
- Vou andando. Não há problema, também não estava a fazer nada de jeito. Senta-te, queres uma cerveja?
- Claro, obrigado. Então, que contas?
- Como te disse, nada. Queria escrever, mas nada me ocorre. Tenho andado assim.
- Para isso é que eu sirvo, para quebrar a monotonia da tua vida. E para fazer de musa inspiradora, claro.
- É. E desta vez pretendes permanecer muito tempo?
- Tens medo que eu te abandone, meu querido? Não te preocupes que isso nunca vai acontecer.
- Já calculava. Vou só ali à varanda fumar um cigarro, queres vir fazer-me companhia?
- Não me apetece, talvez mais tarde. Fico aqui à tua espera.
- Está bem. Até já.

Like art could save a wretch like me

.
Acho que o problema é que eu e o D nos sentimos assim.



I have a friend, he's mostly made of pain
He wakes up, drives to work and straight back home again
He once cut one of my nightmares out of paper
I thought it was beautiful, I put it on a record cover
And I tried to tell him he had a sense
Of color and composition so magnificent
And he said, "Thank you, please
But your flattery
It's truly not becoming me
Your eyes are poor, you're blind you see
No beauty could have come from me
I'm a waste
Of breath, of space, of time"

I knew a woman, she was dignified and true
Her love for her man was one of her many virtues
Until one day she found out that he had lied
And decided the rest of her life from that point on would be a lie
She was grateful for everything that had happened
And she was anxious for all that would come next
But then she wept, what did you expect?
In that big old house with the car she kept
And, "Such is life," she often said
With one day leading to the next
You get a little closer to your death
Which was fine with her, she never got upset
And with all the days she may have left
She would never clean another mess
Or fold his shirts or look her best
She was free
To waste away alone

Last night, my brother he got drunk and drove
And this cop he pulled him off to the side of the road
And he said, "Officer, officer, you've got the wrong man
No, no, I'm a student of medicine, a son of a banker, you don't understand"
The cop said, "No one got hurt, you should be thankful
And your carelessness, it is something awful
And no, I can't just let you go
And though your father's name is known
Your decisions now are yours alone
You're nothing but a stepping stone
On a path
To debt, to loss, to shame"

The last few months I've been living with this couple
Yeah, you know the kind who buy everything in doubles
Yeah, they fit together like a puzzle
I love their love, and I am thankful
That someone actually receives the prize that was promised
By all those fairy tales that drugged us
And still do me, I'm sick, lonely
No laurel tree, just green envy
Will my number come up eventually?
Like love's some kind of lottery
Where you scratch and see what's underneath
It's sorry, just one cherry
I'll play again, get lucky

So now I hang out down by the train's depot
No, I don't ride, I just sit and watch the people there
The remind me of windup cars in motion
The way they spin and turn and jockey for positions
And I want to scream out that it all is nonsense
And their life's one track and can't they see it's pointless?
But just then my knees give under me
My head feels weak and suddenly
It's clear to see it's not them but me
Who's lost my self-identity
And I hide behind these books I read
While scribbling my poetry
Like art could save a wretch like me
With some ideal ideology
That no one could hope to achieve
And I'm never real, it's just a sketch of me
And everything I've made is trite and cheap
And a waste
Of paint, of tape, of time

So I park my car down by the cathedral
Where the floodlights point up at the steeples
Choir practice is filling up with people
I hear the sound escaping as an echo
Sloping off the ceiling at an angle
When the voices blend they sound like angels
I hope there's some room still in the middle
But when I lift my voice up now to reach them
The range is too high way up in heaven
So I hold my tongue, forget the song
Tie my shoes, start walking off
And try to just keep moving on
With my broken heart and my absent God
And I have no faith but it's all I want
To be loved, and believe
In my soul, in my soul

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº112)

.
Coisas que até agora correram mal com o meu esquema.

Passo nº3 - Não resultou.

Passo nº4 - A cerveja que tenho em casa é uma merda.

Passo nº5 - Qual sobrinhos qual carapuça, não houve visita hoje.

Passo nº6 - Falhou completamente e por isso estou agora a beber cerveja merdosa.

Passos nº7 e nº8 -Estou-me agora a lembrar que tenho trabalho para fazer...

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº111)

.
Ok, está prometido a mim próprio. Hoje vou sair deste humor depressivo no qual me tenho encontrado ultimamente.

Passo nº1 - Vestir os meus boxers com desenhos de vacas loucas.

Passo nº2 - Usar a minha t-shirt com o logotipo do Super-Homem.

Passo nº3 - Substituir o pensamento "Tenho 23 anos, que raios faço eu com este tipo de roupa" pelo pensamento "Damn, I'm so cool".

Passo nº4 - Beber pelo menos uma cerveja por refeição.

Passo nº5 - Brincar com os sobrinhos.

Passo nº6 - Não ficar deprimido quando for visitar o meu avô ao lar.

Passo nº7 - Ver um musical antigo ou um filme de terror estúpido.

Passo nº8 - Ir beber café à noite num sítio calminho e semi-abandonado.

Passo nº9 - Ver o mais recente espetáculo stand-up do CK Louis antes de ir dormir.

Passo nº10 - Não me deixar dormir a pensar em merdas.

I want that so badly...

Fiquei completamente apaixonado por esta escultura no desenhos, esculturas e outras amarguras.



Foda-se.

Nem sei o que hei-de fazer comigo agora.

Crónicas da noite passada

.
Eu (para o D) - Esta rapariga criticou-me a semana passada por ser demasiado científico.
Rapariga em questão - Eu não te critiquei, simplesmente a vida não é só ciência. A ciência não explica tudo.
Eu - Por não sermos suficientemente inteligentes para compreender uma coisa não quer dizer que não tenha uma explicação científica.
Rapariga - Mas o que é que isso contribui para a minha felicidade? Prefiro que algumas coisas permaneçam um mistério.
Eu - Mas lá está, eu não consigo compreender essa forma de pensar, isso para mim é absurdo. Dá-me muito mais gosto saber como funciona um truque de ilusionismo.
Rapariga - Isso não faz sentido nenhum, a piada está precisamente em não se saber como se faz.
Eu - Não, é ao tu saberes como se faz, ao saberes como funcionam as coisas que ficas a perceber as bases do truque e o funcionamento do cérebro humano e isso dá muito mais prazer.
Rapariga - Não, só estraga tudo.
Eu - Olha, é como o António Damásio diz em relação ao amor. O amor é um conjunto de reacções químicas em conjugação com a estrutura psicológica das pessoas, mas isso não lhe tira nada de relevante. Como ele próprio diz, não é por sabermos como funciona o sistema digestivo que tira o prazer em comer um bife.
Rapariga - 'Tá bem, eu sei que é tudo uma questão de químicos, mas prefiro saber isso e fazer de conta que não sei, é melhor.
Eu - Foda-se mas isso é ridículo, eu... epá, olha, esquece.
.
Eu (a desabafar com o D) - Eu não compreendo estas merdas e nunca hei-de compreender. Poderia estudar psicologia durante 40 anos que continuava a não compreender. As pessoas preferem ignorar o conhecimento porque lhes dá mais prazer, esta forma de pensar e de viver a vida é, para mim, completamente alienígena. Foda-se, pá.
.
D - Estás a fumar demasiado.
Eu (fodido com a vida) - Quero lá saber da merda do tabaco.
D - Alguma coisa te há-de matar, não é verdade?
Eu - É. Mais vale ser eu a decidir como me mato. A cena que acho que consiste numa das maiores injustiças cósmicas é eu não poder decidir completamente como acabar a minha vida. Se sou eu a decidir como a vivo deveria ser capaz de decidir como a acabo, mas nem isso. Foda-se.
.
Eu (a desabafar outra vez) - Estou farto desta merda. Estou farto de ser "estranho", de ser apontado como estranho. Eu quero fazer parte da puta da carneirada.
D - Pois, eu compreendo-te. Também não ajuda nós termos sido desde cedo rapazes que não se interessavam sobre futebol e ficavam nos intervalos a falar de livros e filosofia, etc.
Eu - Não sei, meu. Só sei que em puto, a partir do momento em que és rotulado pelos adultos como "fora do comum" estás fodido. "Olha, pronto, devo ser mesmo anormal porque já mo dizem na cara... que faço eu agora com esta merda?".
D - Não sei...
.
Eu - ... Porque é que a gente escreve, meu?
D - Não faço a mínima ideia. Ainda hoje não sei dizer. Detesto tudo o que escrevo, mas não me vejo a fazer outra coisa.
Eu - Eu gosto do que faço... durante 20 minutos no máximo. Com a música revela-se mais... sinto-me bem a criar música, tenho um sentimento de satisfação quando me 'tou a exprimir naquele instante mas ao fim de algum tempo... acho tudo uma merda, chego a ter vergonha. E por isso acabo por não fazer nada, detesto tudo o que faço. Com a escrita, porque é que achas que aquele blog ainda existe? É porque faço questão de não reler as coisas (depois de as reescrever 20 vezes), porque senão apagava tudo e mandava aquela merda para o caralho. E o que eu não consigo ainda compreender é como é que ainda há gente que vai ver aquilo todos os dias, saber da minha vida e, ainda por cima, comentar. A minha vida é um tédio banal do caraças, eu não compreendo.
D - Isso traz a questão... para quem é que tu escreves? É para ti próprio?
Eu - Pois, já escrevi um post sobre isso... acho que é por mim mas para os outros. Mas mesmo que trinta mil pessoas adorassem o que eu escrevo ia achar sempre uma merda. Eu é que sei sempre, se os outros gostam do que faço é porque têm mau gosto e não sabem do que falam. Por isso vou viver insatisfeito comigo próprio até ao fim dos meus dias.
D - Claro. E mesmo assim não deixamos de escrever, por alguma razão.
Eu - É...
.
.
Só conversa animada, portanto.

sábado, 16 de maio de 2009

"Ouve-se...?"

.
Ouçam, eu não quero ser desagradável nem estou a tentar dizer que é má música mas... a sério que ainda não consegui entender o que há de tão especial na Rita Redshoes.
.
Quem diz Rita Redshoes diz milhares de outros artistas/bandas com quem toda a gente menos eu perde a cabeça, mas pronto.
.
É um fenómeno que, na minha adolescência, apelidei de Factor Incubus (por causa da banda Incubus, claro). Na lista de artistas que se inserem no Factor Incubus estão presentes:
Coldplay
Deolinda
Metallica
Buraka Som Sistema
John Mayer
e muitos outros.

Quero escrever

.
mas não me apetece escrever sobre nada.

Por isso...

Paris nunca me pareceu estar tão longe como neste preciso momento...

"Catarci... Catatarci...?"

D - Eu às vezes saio de casa à noite, para estar sozinho comigo próprio para organizar os meus pensamentos. Mas acham que sou estranho por causa disso.
Eu - Mas isso faz falta pá. Faz falta uma pessoa estar sozinha com os seus pensamentos, conseguir pensar sobre si própria. Se eu soubesse como utilizar a expressão "catártico" neste contexto escrevia um post intitulado "A Catartacidade em estar Só". Mas como não sei, não vou escrever.

A noite de hoje

.
Duas horas ao relento, num banco de jardim, a conversar com o D sobre coisas estupidamente profundas e pessoais, sem chegar a qualquer tipo de solução ou conclusão.

Estas coisas fazem muito mal à cabeça mas também fazem algum bem.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº110)

.
Há um momento fundamental do dia para mim. A escolha dos boxers que usarei para o resto do dia.

A maior parte dos boxers que uso têm bonecos de vários tipos. Sinais de trânsito, vacas, peixes, etc.

Hoje decidi usar uns com ursos polares e javalis a beber cerveja e que dizem "100% alcohol free/Be careful with you".

Esta noite pretendo, portanto, beber cerveja até mais não.


P. S. - Ou até ficar sem dinheiro, o que significa que também não vou beber muito. Foda-se.

The bartender's a liar

.
Encontrei enterrada no meu computador uma música que costumava ouvir obsessivamente, mas da qual já não me lembrava há anos.

Esta noite vou vivê-la, vou fazer playback no cérebro.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº109)

.
Alguém me sabe dizer onde se vê o prazo de validade do coração?

Sinto-me uma gaja

.
Vi este vídeo no não compreendo as mulheres e... pronto, gostei muito.

Não gozem.


Foda-se! (nº18)

.
Eu ontem à noite estava muito bem disposto. Estava estava.
A caminho de um café, para beber qualquer coisa, descansadinho na minha vida a fumar uma cigarrilha... e passa ao meu lado uma mulher a conduzir um jipe com um puto de 2 anos ao colo.
.
Foda-se.
.
Fodeu-me logo o bom humor.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Pensamentos Divergentes (nº50)

.
Abriu a janela e voou para longe. Bem longe.
Para lá do seu próprio olhar.

Na superfície da mesa julgou encontrar as teclas de um piano. E por isso entreteve-se um pouco a tocar uma melodia. Afinal de contas, este dia era o dia para simbolizar a sua inutilidade. O dia para desperdiçar em pequenos gestos supérfluos e banais.
Anda a medir o tempo entre baforadas de cigarro e refeições a hora marcada.

"Voar é a parte fácil", pensou. "Difícil é aterrar".

Lista de coisas que eu quero fazer antes de morrer

.
1 - Conseguir fazer com que uma pedra ressalte na água 10 vezes.

2 - Vencer o V num concurso de bebida sem entrar em coma alcoólico.

3 - Dançar expontaneamente a coreografia do Thriller, de Michael Jackson.

4 - Ter sexo com metade do planeta. A metade mais bonita.

5 - Andar de balão, e lá do alto urinar cá para baixo.

6 - Fazer sapateado no tecto, como o Fred Astaire, mas a sério.

7 - Ménage à trois.

8 - Apertar a mão do Stan Lee.

9 - Encarnar o espírito da Estupidez numa pessoa, e esmurrar essa pessoa no nariz.

10 - Fumar Marlboro de mentol.

11 - Apaixonar-me em Paris.

12 - Fazer amor em Paris.

13 - Fazer desenhos num edifício inteiro.

14 - Ménage à quatre.

15 - Compôr uma música de que eu goste a sério.

16 - Visitar uma estação espacial.

17 - Ter sexo numa estação espacial.

18 - Inventar alguma coisa completamente nova.

19 - Correr nú pela rua.

20 - Sentir-me realizado e achar que a minha vida teve significado.

Boas/Más Notícias do dia

Boa notícia: não fui às aulas, fixe...

Má notícia: ... porque fiquei doente.

Boa notícia: Posso aproveitar o tempo extra esta manhã para tocar guitarra...

Má notícia: mas fico frustrado ao fim de uns minutos por tudo me soar mal.

Boa notícia: Posso antes experimentar desenhar...

Má notícia: mas nada sai como eu quero.

Boa notícia: E escrever?

Má notícia: Não me apetece.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Ahaha!

Isto é capaz de ser a coisa mais gira que vou ver esta semana:



Agradecimentos à B pelo vídeo.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº108)

.
Estava aqui a pensar que, como partida, era fixe meter-me com M&M's espalhados na mesa, com um ar muito aborrecido, e quando aparecesse alguém a perguntar o que estava a fazer, dizer:

"Comprei um pacote de M&M's, mas queria comê-los por ordem alfabética..."


Estou com vontade de fazer isso, mas pensando melhor já tenho suficiente fama de "gajo estranho".

As I get closer to 30

.
Esta vida de sedentarismo está a dar cabo de mim.

E ando a ficar mais tarado com a idade.




She said there's ants in the carpet
Dirty like monsters
Eating all the morsels
Picking up the rubbish
Give her effervescence
She needs a little sparkle
Good morning tv
You're looking so healthy

And we all say
Don't want to be alone
We wear the same clothes
Because we feel the same
And kiss with dry lips
When we say goodnight
End of the century... it's nothing special

Sex on tv
Everybody's at it
And the mind gets dirty
As you get closer to thirty
He gives her a cuddle
They're glowing in a huddle
Good night tv
You're all made up
And you're looking like me

And we all say
Don't want to be alone
We wear the same clothes
Because we feel the same
And kiss with dry lips
When we say goodnight
End of the century... it's nothing special

Can you eat her?
Yes you can

And we all say
Don't want to be alone
We wear the same clothes
Because we feel the same
And kiss with dry lips
When we say goodnight
End of the century... it's nothing special

É uma questão de tempo

.
Deste ontem à noite que tenho dor de cabeça.

Estou, portanto, à espera de um aneurisma ou que um parasita interestelar irrompa do meu crâneo e se tente apoderar do mundo... mas só depois de beber um cafézinho e descansar um bocado no escuro por causa da puta de dor de cabeça que ele próprio tem.

Sim, é tão grande a minha dor de cabeça.


P. S. - Na minha imaginação o parasita usa óculos redondos e lê a edição de hoje do Público enquanto bebe café.

Adoro-a

.
Adoro quando salta para cima de mim, sem aviso.

Adoro quando me vira o rabo e se abana toda para mim, olhando-me daquela forma.

Adoro quando me quer lamber da cabeça aos pés.

Adoro a cadela boxer d'Ela.

Poderia ser uma Conversa Conjugal...

.
Ela - E não te atrevas a meter esta conversa no teu blog.
Eu - Porquê?
Ela - PORQUE NÃO!

Tenho a mente diluida na toxicidade de ser

Quero sair daqui, quero sair daqui, quero sair daqui e ir para sei lá onde. Não me quero mover, quero ser estático e na estática desaparecer, morrer. Não aguento, não quero, não tenho para onde ir, não há para onde fugir deste sentimento. Vá desfarça, é a tua vez de meter conversa. Mais um golo, mais um golo, pode ser que ajude. Que estás a fazer? Pára de fazer essa cara, pára de agir como um louco, como um deslocado, como um tresloucado. O meu coração, porque bate assim? Porque não me acalmo, que se passa?

Vou para casa, vou para casa. Esta estrada ainda me há-de engolir se não me apressar.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Foi uma merda de dia

.
E não me chateiem.

Talvez o Jazz me deixe de melhor humor...

Foda-se.

Aviso

Ok, então é o seguinte.

Parece que aquilo que eu publico na Aula Magna não pode estar publicado em mais nenhum lado durante, pelo menos, 90 dias. Sendo assim, alguns dos textos do meu blog foram substituidos por um link para a Aula Magna.

A partir de agora tentarei não repetir os conteúdos de um para o outro.

É só.

Há pequenas coisas que me deixam bem disposto

.
Como por exemplo:

Abrir uma garrafa de Coca-Cola e a tampa saltar até ao tecto, sem eu estar minimamente à espera.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº107)

.
Quero ter um fling com a Manuela Azevedo dos Clã.

Hoje estou de folga

.
Hoje planeio:

1 - Dar uma "limpeza" no blog (depois perceberão porquê);

2 - Tocar guitarra até cair para o lado;

3 - Escrever até cair para o lado;

4 - Desenhar até cair para o lado;

5 - Ir a um concerto de Jazz logo à noite.


Não chegarei a realizar metade destas coisas, mas pronto. Um gajo pode sonhar.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº106)

.
Estar à rasca para mijar com uma erecção é uma das pequenas cruéis piadas de Deus.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº105)

.
Gosto de meter o gelado Magnum no microondas durante uns segundos para ficar com o exterior intacto, mas com o interior meio derretido.

Por alguma razão, Ela achou que este era um acto de terror insondável.

Pensamentos Divergentes (nº51)

.


Ela observa-me impiedosa, sempre vigilante.
Julgando-me e aguardando.

E os seus olhos ausentes de pálpebras têm dentes aguçados que salivam lágrimas de sangue.

Pensamentos Divergentes (nº49)

.
A Morte percorre a ponta dos dedos pelo seu corpo. Aquela Morte vagabunda que ele bem conhece. A que lhe dá suores frios e uma ligeira febre de insanidade. A que faz com que ele queira ser mil diferentes, explodindo em mil direcções diferentes. A que o beija com a ponta da língua em gotas de delicioso veneno.

Foi assim que há incontáveis estórias atrás perdeu a caixa onde guardava o coração. Sem ter onde o esconder ou aprisionar, arremessou-o para um canto qualquer. Faz questão de se esquecer imediatamente do local, sempre que tropeça nele.

Mas o objecto continua algures no quarto, à espera.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº104)

.
Um gajo não pode fazer um favor a uma rapariga gira que ficam logo a pensar coisas.

Além do mais, não sei quem consegue resistir a um sorriso bonito e simpático.

Eu não.

This is my shit

.
Tenho um segredo sujo a contar...

Gosto desta música.

Não olhem para mim com essa cara!



Uh-huh, holy shit
It's about time you get off my dick

A few times you been around that track
But your ass is still fat, it's gonna stay like that
'Cause I ain't your hollaback boy
I ain't your hollaback boy

(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit.

You damn right I was talking shit
I told your man so you would hear it
What you doin' acting like that
Now people know what's up
So you came to my place
Saw the look on your face
I hit a home run then I kicked you out
But first I broke my pom-pom out
And now you know what's up

A few times you been around that track
But your ass is still fat, it's gonna stay like that
'Cause I ain't your hollaback boy
I ain't your hollaback boy

(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit.

So last night girl, saw you under the bleachers
Giving head to a substitute teacher
Perfect grades didn't make no sense
But now it's all cleared up
And it's comin' right back
'Cause I'm telling your pack
So don't freak out when your secret's out
That's right girl, you can't deny this
Your knees is all scratched up

A few times you been around that track
But your ass is still fat, it's gonna stay like that
'Cause I ain't your hollaback boy
I ain't your hollaback boy

(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit.

Let me hear you say this shit is
Super-cala-fragalistic-expialidoshus
S-U-P-E-R-C-A-L-A-F-R-A-G-A...um...
..WHAT!

A few times you been around that track
But your ass is still fat, it's gonna stay like that
'Cause I ain't your hollaback boy
I ain't your hollaback boy

(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit, this is my shit
(Ooh oo) This is my shit.

"Não sou?" "Não, não és"

.
Ouvi dizer recentemente "Sabemos sempre dizer aquilo que não somos, mas temos dificuldade em dizer aquilo que somos".

E se eu já nem souber dizer aquilo que não sou, foda-se?

Sabem do que é que eu gosto?

.
Escrever posts enormes, cheios de texto, e quando chego ao fim decidir não os publicar.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº103)

.
Desde os 10/11 anos que não fazia uma cama tão mal feita.

Que se foda.

Flashbacks de Conversas Passadas (nº11)

À noite, no quintal da minha antiga casa, após um momento de silêncio.

Pai (a muito custo) - Sabes que podes falar comigo se tiveres perguntas em relação ao teu corpo e ao sexo, certo?
Eu (pensado em rotas de escapatória) - Erm... 'tá.
Pai - Há alguma coisa que me queiras perguntar?
Eu ("a porta atrás de mim está aberta") - ... Sabes que eu já tenho 16 anos, certo?
Pai - Sim, e então?
Eu ("vens um bocado p'ró tarde") - Nada, deixa 'tar.

E pisguei-me para dentro de casa.

Estou só a empatar o inevitável

.
Estou para aqui, sem fazer nenhum, a repetir mentalmente "Não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar..."

A única coisa que daqui vai resultar vou ser eu a despachar-me à pressa e a chegar atrasado.

Mesmo assim, "Não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar, não quero ir trabalhar...."

It's perfectly normal, nothing wrong with me

.
Isto fez-me rir e pronto, meti aqui.



Lock eyes from across the room
Down my drink while the rhythms boom
Take your hand and skip the names
No need here for the silly games
Make our way through the smoke and crowd
The club is the sky and I'm on your cloud
Move in close as the lasers fly
Our bodies touch and the angels cry

Leave this place go back to yours
Our lips first touch outside your doors
The whole night what we've got in store
Whisper in my ear that you want some more
And I jizz in my pants

This really never happens you can take my word
I won't apologize
That's just absurd
Mainly your fault for the way that you dance
And now I jizz in my pants
Don't tell your friends or I'll say you're a slut
Plus it's your fault
You were rubbing my butt
I'm very sensitive
Some would say thats a plus
Now I'll go home and change

I need a few things from the grocery
Do things alone now mostly
Left me heartbroken, not lookin' for love
Surprise in my eyes when I looked above
The checkout counter and I saw her face
My heart stood still so did time and space
Never thought that I could feel real again
But the look in her eyes said I need a friend
She turned to me that's when she said it
Looked me dead in the face, asked cash or credit
And I jizzed in my pants

It's perfectly normal
Nothing wrong with me
But we're going to need a cleanup
On aisle 3
And now I'm posed in an awkward stance
Because I jizzed in my pants
To be fair
You were flirting a lot
Plus the way you bag cans makes me
Bothered and hot
Please stop acting like you're not impressed
One more thing
I'm gonna pay by check

Last week, I saw a film
As I recall it was a horror film
Walked outside into the rain
Checked my phone and saw you rang
And I jizzed in my pants

Speeding in the street, when the red lights flash
Need to get away, need to make a dash
A song comes on that reminds me of you
And I jizz in my pants

The next day
My alarm goes off
And I jizz in my pants

Open the window and a breeze rolls in
And I jizz in my pants

When Bruce Willis was dead at the end of Sixth Sense
I jizzed in my pants

I just ate a grape
And I jizzed in my pants

I went to. . .
Ok seriously you guys, can we. . . . ok?

I jizz right in my pants
Every time you're next to me
And when we're holdin hands
It's like havin sex with me
You say I'm premature
I just call it ectasy
I wear a rubber at all times
It's a necessity
Cuz I jizz in my pants
Yes I jizz in my pants

Assusta, assusta

.
A Leonor assusta-me.

Um dia destes fica a saber quem sou, nem que seja de vista, e lá se vai abaixo esta protecção cibernética que construí à minha volta.

E depois as pessoas que por aqui andam tornam-se "reais". Não poderei continuar nesta reconfortante simulação de vida.

E depois não sei o que fazer com isto. Ou comigo.

domingo, 10 de maio de 2009

Para além de cromo, desperdiça o seu tempo

Finalmente tenho um dia em que não tenho trabalho nenhum para fazer, e como o utilizo eu?

Lendo as BD's que tinha em atraso.

Foda-se.

Se a minha vida amorosa fosse Sushi

.
A minha 1ª namorada seria gengibre.

A minha 2ª namorada seria só molho de soja.

A minha 3ª namorada seria wasabi amargo e picante.

A minha 4ª namorada seria o pepino estaladiço escondido no meio do arroz mole.

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº102)

.
A Carolina do Blog de Anotar a Vida disse-me num comment "o batman faz 70 anos hoje! lembrei-me de ti qd vi a noticia :)" e eu senti-me um bocado envergonhado.

Não sei se foi por uma rapariga bloguista se lembrar casualmente de mim, se foi por eu ser tão nerd que me associam automaticamente a coisas destas.

Todos os meus avós estão a ficar gagás

Fora previamente alertado por familiares que o meu avô paterno, que vive em Setúbal, comprara recentemente um telemóvel. Recebi mesmo agora um telefonema de um número que não conhecia.

Eu - Estou?
Telemóvel - ...
Eu - ... Sim?
Telemóvel - ...
Eu (olhando para o visor para ver se tinha caído a chamada) - ... Estou?
Telemóvel - ESTOU!
Eu - Sim!
Telemóvel - ESTOU?!?
Eu - ESTOU SIM, OLÁ!
Telemóvel - OLÁ! É O TEU AVÔ!
Eu - Sim, eu já percebi.
Avô - O QUÊ?
Eu - EU JÁ PERCEBI (raio do velho que está surdo que nem uma porta).
Avô - ENTÃO, ESTÁ TUDO BEM?
Eu - TUDO BEM POR CÁ, E POR AÍ?
Avô - TAMBÉM. OLHA, EU AGORA COMPREI UM TELEMÓVEL.
Eu - POIS...
Avô - QUERES ESCREVER AÍ O NÚMERO?
Eu - NÃO É PRECISO, ISTO APARECE AQUI O NÚMERO COM A CHAMADA.
Avô - COMO?!?
Eu (foda-se) - NÃO É PRECISO, JÁ TENHO O NÚMERO. APARECE NO ECRÃ COM A CHAMADA.
Avô - AH, 'TÁ BOM...
Eu - ...
Avô - ENTÃO E OS TEUS PAIS, COMO ESTÃO?
Eu - ESTÃO BONS SIM. E A...
Avô - E A SOBRINHA?
Eu - TAMBÉM.
Avô - OLHA, A AVÓ ESTÁ A MANDAR BEIJOS.
Eu - BEIJOS PARA ELA TAMBÉM.
Avô - OLHA, ELA MANDA DIZER QUE ESTÁ A FAZER SALADA DE FRUTA PARA DEPOIS DO ALMOÇO.
Eu - ... ESTÁ BEM...
Avô - ENTÃO VÁ, ADEUS, FICA BEM. UM ABRAÇO.
Eu - OK. ABRAÇOS PARA O PESSOAL.

É que isto contado ninguém acredita...

Porque os homens deviam ser sempre insensíveis

.
Vamos admitir uma coisa... homens de coração partido são a coisa mais ridícula do mundo.
Fazemos as maiores idiotices, umas atrás das outras, e denegrimo-nos até um ponto em que chega a ser cruelmente divertido para os outros.
Mesmo assim é também a altura em que, de forma mais honesta, mostramos as nossas emoções.

Nesse sentido, acho o filme Wedding Singer puramente genial. Além do mais, era na altura que o Adam Sandler ainda tinha piada.

E devo confessar que eu próprio, na minha adolescência, compûs músicas do género:



You don't know how much I need you
While you're near me I don't feel blue
And when we kiss I know you need me too
I can't believe I've found a love that's so pure and true

But it all was bullshit
It was a goddamn joke
And when I think of you, Linda
I hope you fucking choke!

I hope you're glad with what you've done to me
I lie in bed all day long, feeling melancholy
You left me here, all alone
Tears running constantly

Oh somebody kill me please
Somebody kill me please
I'm on my knees!
Pretty pretty please!
Kill Me!
I want to die!
Put a bullet in my head!

Coisas Que Um Gajo Coiso (nº101)

.
Fazer sexo no duche é das coisas mais excitantes que há.

Fazer sexo no duche, sem tapete anti-derrapante, é ainda mais excitante. Mas por outros motivos.

sábado, 9 de maio de 2009

I can't stand

.
Acho que sofro de uma condição chamada


Patient:
For so long i trailed you
now here i am, but i can't stand
with these Jellybones

checked myself into emergency, urgently.
drove up in my bone-camarrow, thinking only about you.
the doctor walked her crew of surgeons to the table where I lay
I came to, and my knee-caps were off.
they were soft, I had the Jellybones

Doctor:
I woke him up and broke the news
after everything was sewn
I said: "Son, you've got a full-blown case
of what is known as Jellybones."

But this is love, so we'll survive.

Sesguidores