quarta-feira, 13 de maio de 2009

Tenho a mente diluida na toxicidade de ser

Quero sair daqui, quero sair daqui, quero sair daqui e ir para sei lá onde. Não me quero mover, quero ser estático e na estática desaparecer, morrer. Não aguento, não quero, não tenho para onde ir, não há para onde fugir deste sentimento. Vá desfarça, é a tua vez de meter conversa. Mais um golo, mais um golo, pode ser que ajude. Que estás a fazer? Pára de fazer essa cara, pára de agir como um louco, como um deslocado, como um tresloucado. O meu coração, porque bate assim? Porque não me acalmo, que se passa?

Vou para casa, vou para casa. Esta estrada ainda me há-de engolir se não me apressar.

4 comentários:

annie disse...

:) nice

o ritmo está brutal *

Carolina disse...

bora fuma uma? isso passa..

Ostronauta disse...

ai eu.

Raciocínico disse...

annie: Thanks.

Carolina: Passa mas depois volta.

B: Ai eu também.

Sesguidores