quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pediram-me por uma chave-de-fendas ainda por cima EU SEI O QUE ESTÃO A TRAMAR, OUVIRAM?


A mim não me enganam. Os meus "vizinhos" aparentam ser dois simpáticos jovens estudantes mas eu sei qual é a verdade. Assim que sobem para o andar de cima tomam a sua verdadeira forma e transformam-se em doze joelhos aprisionados dentro de uma larva gigante de segmentos rochosos que se movimenta xilofoneando os azulejos do chão. Os seus propósitos são ainda desconhecidos, mas ouço-a até às tantas da manhã a levar a cabo seus maléficos ruidosos propósitos. Pela complexidade da cacofonia penso que está a construir um grande e misterioso aparelho para entrar em contacto com a sua raça numa galáxia longínqua qualquer ou numa outra dimensão lovecraftiana em que as criaturas residentes comunicam através do arrastar de móveis rascas do Ikea.

2 comentários:

Maria Abacaxi disse...

ahahahahah tens uns pensamentos tão rebuscados às vezes. Que mel.

T disse...

Pseudo-alucinações de quem está e não está a dormir ao mesmo tempo.

Sesguidores