quarta-feira, 3 de março de 2010

Mais um dia

.
O blog desta moça, intitulado O dia em que não morri, tem-me dado que pensar (a propósito, ela também está em votação no SuperBock e acho que não era um mau voto).

E porque me tem dado que pensar?

É mesmo pelo nome. O dia em que não morri. Confesso que não sei qual a razão que está por detrás do nome, mas talvez por isso mesmo eu tenha estado aberto à sua interpretação.
Tenho pensado que todos os meus dias são o dia em que não morri. É um bom nome para cada dia que passa e para cada dia da minha vida até agora. Só um desses dias será a excepção à regra.
E eu admito que é um nome inconsequente, pois o dia que foge à regra é aquele sobre o qual eu não me poderei pronunciar ou ao qual não poderei referir-me como "o dia em que morri". Não estarei cá para o dizer e por isso não existe um oposto com o qual identificar. É complicar desnecessariamente.

Ainda assim, parece-me um bom conceito. É poético, soa-me muito bem.

E parece-me inevitável alguém (provavelmente eu) vir a roubá-lo um dia.

3 comentários:

continuando assim... disse...

convite para a seguir a história de Alice
lá no ...continuando assim...


bj
Teresa

monique disse...

eu assustei-me muito quando comecei a ler o post e, pronta a carregar no link, dou com o nome do meu blog. desta é que não estava à espera.

acredito que já aqui algures, nalgum comentário (e num post meu, que já apaguei), deixei o excerto do livro de onde o roubei. excerto esse que me diz tanto que o memorizei. mas não o vou citar nem explicar porque prefiro deixá-lo assim por agora, aberto à interpretação de cada um. digo apenas que, no dia em que criei o blog, não havia melhor frase que o descrevesse.

fico feliz por saber que o nome dá que pensar.
obrigada pelo post, T.

monique disse...

p.s.: a verificação de palavras para o comentário anterior era "kinedi" o que inevitavelmente me levou a pensar no kennedy. seria alguma espécie de mensagem vinda da morte?

Sesguidores