terça-feira, 26 de novembro de 2013

Carta de amor ao Metro de Lisboa


Por vezes não te compreendo. E eu sei que é normal um arrufo de vez em quando, mas para te ser sincero eu já estranho quando há uma semana em que não tenhas um dos teus bizarros amuos, com explicações que são impossíveis de compreender.
Como hoje que fui ter contigo de manhã, à hora do costume, e estavas atrasada. É uma queixa recorrente: o homem é deixado à espera enquanto ela se arranja. Mas a coisa descambou por completo quando disseste que afinal só podias à tarde e que 5ª feira tínhamos de desmarcar o encontro..

Se calhar são aquelas idiossincrasias que se acha piada na fase inicial de namoro e que com o tempo se tornam insuportáveis. Como por exemplo quando vou ao Campo Grande. E sempre que tento sair pela porta o caminho é-me completamente barrado pelo muro de gente que não se desvia. Já aprendi a aceitá-lo, é uma cena tua. Não é defeito, é feitio. Mas as coisas acumulam, porra. E um dia destes eu vou ter de empurrar uma velha. E não é a empurrar velhas que se constroem relações com futuro.
E por falar em velhas, há outra coisa de que te quero falar e que aponta a forma como és inconstante. Sempre que saio no Chiado não sei o que me espera. As escadas rolantes vão ou não estar a funcionar? É que isso muda como quem muda de cueca e as únicas opções possíveis são fio dental ou cueca da avó.

Mas nem tudo é mau. Dás-me o meu tempo para as minhas coisas. Sem ti não tinha tanto tempo de leitura a caminho do trabalho e de volta.
E não só nunca julgaste os meus fetiches, como alinhas no esquema para me fazer feliz. Sabendo tu das minhas tendências voyeuristas emparelhas-me com todo o tipo de gente que nunca teria oportunidade de conhecer em qualquer outra situação.

Ao fim e ao cabo, é certo que temos muitas discussões. Mas entre elas, eu esqueço-me sempre que elas existem. Por isso, não podendo enterrar o assunto, vamos concordar em mantê-lo debaixo de terra.

2 comentários:

Mariana Batista disse...

:)

Rui Pi disse...

Incrível como o Metro dá sempre inspiração para posts. Entendo-te... Entendo-te mais do que bem. É aquela relação complicada em que nos chateamos quando ela chega tarde mas, no meu caso, me aproveito do facto de ela ficar na cama das 6.30h às 10h e me deixo ficar também.

Sesguidores