segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Dolce & Gabbana


Existe um tipo de gaja que só por ser esse tipo de gaja pensa que pode conquistar qualquer gajo. Estão habituadas a tratamento especial por serem consideradas bonitas e então acreditam que qualquer tipo de contacto com elas deve ser considerado um privilégio por parte dos homens.

De vez em quando confronto-me com esse tipo de gaja e o resultado é sempre o mesmo. Olham para mim e, com razão, presumem que eu sou um rapaz um bocado cromo e que não percebe muito de mulheres nem tem grande contacto com elas. E quando falam comigo esperam que eu tome imediato interesse, por muito desinteressante que a sua conversa ou elas próprias sejam. Pensam que não é preciso ter personalidade ou lábia para se tornarem apelativas e ficam ofendidas e chateadas por eu me aborrecer com elas. Não sei se o choque que demonstram é de incredulidade para com a minha atitude ou se é algum impacto que isso lhes causa na auto-estima, mas acabo sempre por ser retratado como um gajo rude e estranho.

Não me levem a mal, eu adoro falar com pessoas e conhecer pessoas. Mas não tenho paciência para conversas da treta sem substância nenhuma e o enorme prazer que me dá estar com pessoas com personalidade faz com que eu não tenha tempo na minha vida para desperdiçar com indivíduos com menos carisma que a sola de um sapato. Mesmo que o sapato seja da Dolce & Gabbana.

7 comentários:

Inês de Sousa disse...

Ter conversas sem conteúdo é do pior que existe. Apesar que gostar conhecer pessoas, tal como tu não tenho paciência para conversas ocas.

Amelia Pond disse...

Há tantas miúdas assim que as que não o são começam a ser uma raridade... já agora o mesmo é válido para os rapazes... blusas armani e afins não são um bom substituto do conteúdo... às vezes nem um bom complemento são lol

Gosto muito de passar por aqui :)

pedro b disse...

experimenta sair na foz, no porto. sais de lá a achar que algo de muito errado se passa neste mundo...

T disse...

Ui! Então porquê, Pedro?

pedro b disse...

há todo um mundo oco e fútil de pessoas, a maior parte deles miúdos, num ritual de acasalamento vazio. está tudo errado, desde a postura à indumentária, ainda que o mal maior esteja na cabeça!

Amelia Pond disse...

Intrometendo-me descaradamente...em Lisboa não é muito diferente...

T disse...

Há disso em todo o lado. Não sei dizer onde é que há mais ou menos. Só sei que há muita gente que não gosta de mim =P

Sesguidores