segunda-feira, 23 de abril de 2012

Sim, mãe


São três da manhã e ainda nada mudou.
Esperas catatónico que um anjo te caia na fronte
para mudar a vida que só tu podes mudar
mas a verdade é que tu és inquilino da tua própria existência
e tudo o que fazes é andar no barco para onde a corrente te levar.
Vais fazer o quê
se toda a gente sempre te disse que és um inútil,
a única coisa que podemos fazer neste mundo é não levantar ondas
vais chatear os outros para quê
e para quê então chateares-te a ti próprio com coisas que não se podem realizar.
Arranjar um emprego e sobreviver.
Pagar as contas e talvez casar,
ninguém te pede mais que isso.
Nem precisas de ser feliz,
muito menos ser significante.
Pisamos todos o mesmo chão,
não penses que és mais que os outros.

1 comentários:

Alexandre M. Ferreira disse...

quando vou à Fnac, dou uma leitura a umas quantas páginas no livro "Blink!". não sei se já leste mas, numa parte, fala do facto de as ideias pré-concebidas, ou aquilo que as pessoas te dizem, influenciarem a tua performance em dada tarefa.
um exemplo que apresentava descrevia um teste em que, no início, se perguntava a raça do sujeito. só o facto de se fazer esta pergunta, influenciava o desempenho, negativa e inconscientemente, dos alunos de origem africana porque a sociedade se incumbiu de passar e fazer prevalecer a mensagem de que eles seriam sempre burros porque eram africanos.
tudo isto por "toda a gente sempre te disse que és um inútil". lembrei-me.

Sesguidores