quarta-feira, 28 de março de 2012

Esqueletos


Estive a fazer uma limpeza à centena de blogues que estava a seguir,a  retirar os links inúteis e manter apenas os relevantes ou que ainda se vão actualizando. Sou um homem extremamente desorganizado que só lhe dá para pôr a vida em arrumações em noites de neuróticas insónias e consequentemente dei por mim a fazer nado à borboleta numa data de bolorentas relíquias.
Algumas pessoas que eu lia deixaram de escrever há anos e simplesmente desapareceram. Para trás deixaram as marcas na poeira sem explicações sobre o rumo da sua vida. Outros criaram espaço noutro sítio e trato de voltar a lê-los aí. A maioria no entanto fez uma despedida, anunciado o terminar da sua dedicação à blogosfera ou então acobardou-se e fez do seu espaço um local apenas acessível a convidados.

Venho a isto dos blogues há três-anos-e-picos. Na internet, é um espaço de tempo imenso. Há alguns de quem sinto a falta e cheguei a guardar uns poucos para leituras ou nostalgias futuras. Mas a verdade é que são menos que papéis amarrotados no chão - estão vazios de tudo. Não chegam a ser um mero aglomerado de letras. São fotocópias de fantasmas dos tormentos de outros que não eu.

E um dia eu também serei fantasma.

2 comentários:

MrAmribeiror disse...

Faz sentido num determinado momento; corre o risco de deixar de o fazer logo no momento a seguir.

Acontece a todos aqueles que arriscam crescer :)
Abraço

T disse...

Está subjacente ao que dizes a ideia de que crescer implica de certa forma eu largar este blog?

Sesguidores