segunda-feira, 28 de março de 2011

Id


Querido blog, hoje foi um dia como todos os outros.

Acordei de manhã, bem disposto e cheio de vontade de viver. A minha namorada trouxe-me o pequeno-almoço à cama e disse-me que eu sou o melhor amante do mundo, melhor e maior do que qualquer outro homem com quem ela alguma esteve - não que ela ainda se consiga lembrar deles, tão forte é o poder da minha sedução.
Depois de darmos uma rapidinha de duas horas (não queria atrasar muito o almoço) fui comprar o jornal do dia. Pela terceira vez esta semana tive de passar o embaraço de ver o meu retrato na primeira página de todos os jornais. Parece que não escondo muito bem os meus segredos e já toda a gente do mundo sabe que, para além o meu talento a escrever e a desenhar, também sou o maior génio musical da minha geração. Por alguma razão, as pessoas parecem achar isso impressionante. Consequentemente, a senhora da tabacaria reconheceu-me e decidiu dar-me o jornal de eleição de borla.
Para celebrar fui beber um café e ler o jornal num instante antes de voltar a casa. Por coincidência, encontrei no café da esquina, numa só mesa, todas as raparigas ou mulheres que me deram com os pés ou que alguma vez me rejeitaram. Tinham a maquilhagem toda esborratada e pareciam estar a chorar há horas. Quando me viram agarraram-se a mim e imploraram que voltasse para elas, disseram que estavam muito arrependidas e que nunca me tinham conseguido ultrapassar desde que seguimos caminhos separados. Disseram que para além de lindo e sensual, era atento, carinhoso, inteligente, divertido, charmoso, cheio de personalidade e o melhor de sempre na cama. Fiquei comovido, mas que podia eu fazer? Expliquei-lhes com calma que apesar de ser verdade que elas nunca encontrariam alguém que se comparasse comigo, que tinham de se acomodar. Elas já tinham tido uma oportunidade comigo e seria egoísta da parte delas esperar ter uma segunda oportunidade quando tanta gente no mundo ainda não tinha tido a primeira. Elas pareceram compreender.

Depois disso, entrei no meu Cadillac Coupe DeVille de 3ª geração e fui às compras. Desde que a minha namorada descobriu que sou o melhor cozinheiro de sempre que insiste que seja sempre eu a fazer as refeições. Estava no talho quando ela me telefonou a dizer para contar com mais uma pessoa para o almoço - ela tinha feito amizade com uma modelo de uma marca qualquer de lingerie feminina e estavam as duas muito interessadas numa ménage à trois comigo. "Outra vez?" - disse-lhe eu. "Mas quando é que tu esperas que eu finalmente consiga acabar de escrever o meu terceiro livro? Desde que ganhei o prémio nobel literário com cada um dos dois anteriores que o meu publicador não pára de me chatear". Ao qual ela me respondeu "Para que queres tu saber disso? Ainda tens tempo. Além do mais, os livros anteriores escreveste-os em 2 semanas cada ao mesmo tempo que fazias as suas ilustrações e compunhas álbuns que foram denominados revolucionários para o mundo musical. E estás cheio de dinheiro, não tens de te preocupar com isso. Vá, estamos à espera".

Saí agora da cama, só agora se deixaram dormir de exaustão. Parece que nunca consigo fazer nada de jeito - amanhã a ver se acordo mais cedo para ter um dia mais produtivo. E esqueci-me de comprar ovos, lá tenho de ir ao supermercado outra vez.
A minha vida é um tédio.

8 comentários:

F. D. P. Carvalho disse...

sublime, pá. és bom, muito bom no que escreves. ou então és uma merda e eu apenas me reconheço nas tuas neuroses.

T disse...

O sentimento é mútuo.

Ela disse...

corta os pulsos, de levezinho, para ver se trazes um pouquito de animação a esta vida!

T disse...

...

Ela disse...

cortaste? ups!

T disse...

Certo.

Alter Ego disse...

Há dia assim

MartaP. disse...

não se pode ter tudo não é?

Sesguidores