segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Óbito

.
Quando me foco no círculo negro preso pela cor desses olhos sei que vou morrer. Sei com todo o impacto a realidade óbvia e inescapável de que vou morrer. Vou morrer. Vou morrer. Vou morrer. Tudo o que alguma vez foi, é e será acaba no resultado inevitável da minha morte e só não o sei a cada outro segundo de cada outro dia porque sou cego, sou cego e louco e abraço a minha cegueira e embebedo-me da minha loucura. Vou morrer. Vou morrer e eu queria ser imortal mas vou morrer. Queria ser imortal, queria encontrar a minha imortalidade no círculo negro desses olhos mas nunca a vou encontrar e vou morrer.

3 comentários:

benjamim machado disse...

gostei. continua.

aguarela disse...

Acredito que teres encontrado um blog de uma agência funerária te tenha inspirado a escrever isto (ou não).
Por algum motivo hoje já ouvi a palavra "morte" demasiadas vezes.

T disse...

benjamim: Igualmente, camarada.

aguarela: Pensei nisso depois de o escrever, mas infelizmente acho que as inspirações foram outras.

Sesguidores