quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Every plan is a tiny prayer to Father Time

.

Death Cab for Cutie - What Sarah Said from tann on Vimeo.



Ele não responde. Há muito tempo que é assim, mas há dias em que fica pior. Por vezes parece que nem dá pela existência dela, de tanto que se perde dentro de si.
Ela tenta cuidadosamente tirá-lo do seu estupor contemplativo, sempre acompanhado pela merda dos cigarros que fuma uns atrás dos outros.
O toque dela de nada serve. E ela começa-se a perguntar "É isto amor?".

Ele nada nota. Está a tentar resolver algo na sua mente.
O importante agora é acender outro cigarro.

"Como pode ele amar se nem ele existe para si mesmo? Se quando ele está assim tudo o que sente é uma maremoto de tristeza e dor?"

Se calhar amor é autodestruirem-se juntos e destruirem-se um ao outro, num ciclo que aparentemente não tem fim.

Só quando ela se vai embora é que ele nota o sussurro de um fantasma.
O culpado disto tudo é ele.

2 comentários:

Lauh disse...

talvez a culpa seja dos dois. talvez ele precise da ajuda dela para encontrar uma resposta. quem sabe?

Mafarrica Maria Biscoito disse...

Ou talvez apenas precisem os dois de fazer bolhas de sabão. Tenho a certeza que algo tão simples pode resolver algo tão complexo. x)

Sesguidores