quinta-feira, 11 de junho de 2009

Pensamentos Divergentes (nº55)

.
Hoje, foste a primeira a abandonar a cama.

Quase de imediato te ergueste e te colocaste ao serviço do despertador do telemóvel, que bramia teimosamente do outro lado do quarto, exigindo atenção.
Prontamente te vestiste. Não foi bem vestir, vestir costuma ser uma arte demorada; foi mais como se tivesses puxado um cobertor porcima do teu corpo.

- Onde vais? - Perguntei, sabendo a resposta.
- Então? Sabes bem que tenho de ir.

O silêncio deitou-se a meu lado na cama.

- Que se passa?
- Nada. - Menti.
- Até logo, amor.

E o crepúsculo dos entre-sonhos roubou-me a memória do teu último beijo.

2 comentários:

Teresa disse...

lindo!

pouco mais há a dizer.

com um beijo

T disse...

Obrigado.

Sesguidores